Foto: Jéssica Moás de Sá

Na manhã do dia 13 de janeiro, a vila de Porto de Mós acolhe, pelo quarto ano consecutivo, o Campeonato Nacional de Marcha em Estrada – 35 e 50 quilómetros. A prova foi apresentada no passado dia 20 de dezembro, em sessão realizada na Tenda de Natal, junto ao cineteatro da vila.

O presidente da Associação Distrital de Atletismo de Leiria (ADAL), António Reis, disse que para a ADAL “é um privilégio realizar mais um campeonato nacional” e agradeceu à Federação Portuguesa de Atletismo (FPA) a confiança no trabalho da associação. Presente esteve também o vice-presidente da FPA, Luís Figueiredo, que afirmou que “as grandes alegrias” que tem tido nos últimos quatro anos “têm sido na vila de Porto de Mós”. O dirigente fez ainda uma analogia entre o casamento e a relação entre a FPA e o Município: “O namoro que tem acontecido entre a FPA e a Câmara Municipal de Porto de Mós começou por ser muito pequenino, uma aproximação, um trocar de olhares. E neste momento já estamos praticamente casados”.

O presidente da autarquia portomosense, Jorge Vala, afirmou que “a prática desportiva é útil e importante” e referiu que “por exemplo, a nível do pré-escolar, já estamos a permitir a prática do desporto junto de todos os alunos do concelho”. O autarca acrescentou que estas medidas são para continuar mas que “a aposta no desporto amador, como o atletismo, só é possível que evolua num concelho como o de Porto de Mós, se tivermos aqui grandes eventos”, como é o caso deste campeonato.

Além das provas de 35 e 50 quilómetros, haverá ainda uma competição a iniciar às 9h15 para o escalão Benjamins, com a distância de 500 metros, e a partir das 9h30 para o escalão Infantis, na distância de 1000 metros. Na sessão de apresentação da prova, o diretor técnico nacional de Marcha, Carlos Carmino, explicou que nestas provas para os escalões mais baixos, vão participar jovens do concelho, nomeadamente da escola da Corredoura e do Centro Escolar de Pedreiras, que têm sido treinados e que o objetivo desta participação é “ser consequente”, ou seja, poder dizer “no final destes campeonatos que temos mais jovens a praticar marcha atlética e a possibilidade de alguns deles poderem vir a participar em campeonatos nacionais e trazer medalhas”.

Inês Henriques não participa

A marchadora Inês Henriques, nomeada no início do ano passado como embaixadora de Porto de Mós, foi homenageada nesta cerimónia, pelos feitos que tem conseguido na sua carreira. A atleta agradeceu o reconhecimento e disse que se sente “uma filha de Porto de Mós”, porque foi “adotada de uma forma fantástica”.

Inês Henriques informou que sofreu, recentemente, uma lesão e, à data da apresentação, considerou que “provavelmente” não poderá participar neste Campeonato, uma vez que será necessária “uma pausa de algumas semanas para recuperar mesmo muito bem para os principais objetivos – a Taça da Europa e o Campeonato do Mundo”. Em declarações a O Portomosense, a atleta riomaiorense recordou as vitórias conseguidas na Vila Forte e afirmou que, caso não possa participar, estará presente para “apoiar Porto de Mós e os colegas marchadores”.