Um ano e meio depois da apresentação pública do projeto, o Clube Desportivo Ribeirense (CDR), da Ribeira de Cima, faz um balanço bastante positivo do trabalho que a Escola de Ciclismo Team Ribeirense tem desenvolvido.

Valter Leirião, o elemento da direção responsável pela escola, explica que este projeto foi iniciado pela anterior equipa diretiva liderada por Nuno Louro, tendo a atual decidido dar-lhe continuidade por ser uma mais-valia para a instituição e para a comunidade pelo importante papel que pode (e está a) desempenhar na formação cívica e desportiva de cerca de uma dezena de crianças e jovens.

De acordo com o jovem dirigente, na Escola de Ciclismo Team Ribeirense procura-se que as duas horas de treino semanal, aos sábados, a que se juntam os Encontros de Escolas em vários pontos do país, ao domingo, sejam «momentos de divertimento e de convívio e que dali saia reforçado o espírito de grupo e que a par do domínio das técnicas do ciclismo, as crianças e jovens adquiram também valores desportivos e cívicos». Para o responsável, «a competição acaba por estar presente mas não é uma prioridade. O trabalhar em grupo, sim, e se é verdade que neste ano e meio, praticamente todos os alunos já conquistaram medalhas e lugares de pódio, o galardão que premeia o desempenho da equipa acaba por ser o mais ambicionado e diz bem da união entre todos».

O grupo conta com elementos entre os 4 e os 14 anos, não só da Ribeira de Cima mas também de Porto de Mós, Alqueidão da Serra e Batalha, sob a orientação de Orlando Vogado, treinador com larga experiência e que é desde o início o diretor técnico do projeto.

A escola é de ciclismo mas entre as “matérias curriculares”, estão muitas e variadas atividades físicas desportivas, como jogos com bola e coletivos, atletismo e orientação, ou noções do código da estrada. Neste momento, conta apenas com rapazes mas podem também inscrever-se raparigas. As mensalidades são, este ano, de 10 euros. Como o clube não pode suportar todas as despesas com os alunos, estes pagam por ano, mais 30 euros, valor que engloba a inscrição na Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC), equipamentos de ciclismo, sacos e camisolas.

Depois de nos primeiros tempos a aposta principal ter sido no ciclismo de estrada, agora está-se a trabalhar mais na vertente BTT, uma vez que essa é a preferida dos atuais alunos, mas continua a haver participações em provas “clássicas”.

Com o país dividido em duas grandes zonas, a escola integra a zona B, que cobre a vizinha região de Santarém mas também as de Lisboa e Setúbal e todas as semanas há alguém a promover encontros/provas. Desde o início do ano, os miúdos já participaram em 13 provas e o CDR promoveu «um encontro muito elogiado por técnicos e dirigentes da FPC». Por sua vez, «no encontro nacional que juntou perto de 70 escolas do Continente e ilhas, a do Team Ribeirense ficou nas 20 e poucas primeiras», o que deixou orgulhosos os seus responsáveis.

Face ao êxito da escola, Valter Leirião não tem dúvidas de que foi acertada a decisão de dar continuidade a um projeto que vinha de trás e que ninguém quer deixar cair. «Os miúdos andam bastante motivados, os resultados têm sido bons e não tenho dúvidas que a escola tem ajudado a projetar por todo o lado o CDR, a nossa aldeia e o concelho de Porto de Mós», sublinha, terminando com um desafio aos mais novos: «Se quiserem experimentar para ver se gostam, falem com os vossos pais e a partir de setembro apareçam aos sábados de manhã na antiga escola primária da Ribeira de Cima.