Foto: Jéssica Moás de Sá

A equipa de futsal da Mendiga, que na época passada terminou a Divisão de Honra distrital na segunda posição e que tinha assim acesso à II Divisão Nacional de futsal, abdicou da subida. Os motivos para esta opção foram explicados a O Portomosense pelo vice-presidente do clube, António Manuel.

O também responsável pelo futsal frisou que entre as razões está o facto de a Mendiga estar a apostar num «projeto diferente» com «uma equipa mais jovem». A formação da Mendiga esteve em destaque recentemente por ter sido certificada como escola de futsal e já na altura o vice-presidente explicava que a aposta na formação era um dos objetivos. Por outro lado, António Manuel acredita que o atual plantel não tem «a competitividade» necessária para disputar a segunda liga. O responsável explica que a questão «financeira» foi outro dos motivos para prescindir do acesso aos nacionais, que implica «custos muito elevados». O dirigente reforça que a prioridade é «a saúde financeira» do clube, para não «cometer os mesmos erros do passado».

O vice-presidente deixou a garantia que esta é uma decisão momentânea e que no futuro, caso a Mendiga volte a ter a possibilidade de subir à II Divisão, a escolha «poderá ser diferente», lembrando que a equipa é uma das que tem «mais presenças nos nacionais» na região. A vaga deixada pela equipa do concelho será ocupara pelo GRAP dos Pousos.

A próxima época arranca em setembro e marca a estreia de Nelson Pereira como treinador da Mendiga. O vice-presidente garantiu que o «plantel já está fechado».