13 de fevereiro é o Dia Mundial da Rádio. Foi este o mote que levou a Rádio Dom Fuas, não a falar da influência e importância que a rádio tem nos dias de hoje, mas a relembrar tempos idos, os seus primórdios, no caso com testemunhos relativos à década de 60.

Nos estúdios da Rádio Dom Fuas recebemos a visita de duas ouvintes que vivenciaram a rádio, ainda antes da televisão ou internet tomar o seu lugar nos nossos dias. Maria da Graça Carvalho de Sousa e Celeste Silva, ambas utentes da Casa do Povo da Calvaria de Cima, visitaram as instalações da CINCUP logo pela manhã e falaram, em direto, aos microfones da rádio onde partilharam memórias que perduram até hoje. Momentos que ainda associam a fases muito particulares das suas vidas, comprovando a “força” da rádio.

Um testemunho vivo do seu poder nos ouvintes, bem vincado, quando, a determinado momento da entrevista, e depois de perder a timidez inicial de quem nunca tinha estado aos microfones de uma rádio, começam a cantar um anúncio de publicidade a determinada marca de candeeiros, com mais de 50 anos, com a letra ainda na ponta da lingua e melodia bem presente.

Esse foi o grande poder da rádio: entrar e influenciar as suas vidas ou vincar memórias, fazendo com que ainda hoje possuam um enorme respeito pelo meio e pelas pessoas que nele trabalham, comprovado pela postura e visual cuidado com que se apresentaram em estúdio, longe de saber que mais tarde a imagem iria ultrapassar a fronteira da rádio para o jornal e internet.

Efeméride começou a ser comemorada em 2012

A data de 13 de fevereiro foi escolhida porque foi nesse dia, em 1946, que a United Nations Radio emitiu pela primeira vez, um programa em simultâneo para um conjunto de seis países. Em 2011 a UNESCO declarou a data como Dia Mundial da Rádio, sendo celebrada pela primeira vez no ano seguinte, em 2012.

Nos dias de hoje, a rádio continua a ter uma enorme importância na sua audiência, quer pelo facto de ser um meio priviligiado de divulgação de informação em cima da hora, ou pelo facto de proporcionar entretenimento ao longo das suas viagem diárias de casa para o trabalho e vice versa, momentos de maior audiência do meio atualmente.

Outro exemplo, da sua importância, é que ainda hoje a proteção civil continua a recomendar ter um rádio a pilhas em casa, entre outros bens essenciais, para em caso de emergência extrema (um terramoto, por exemplo…) ter um contacto com algumas unidades de emergência que poderão dar indicações, através da rádio, para um hipotético e desejado salvamento.

Um meio que continua a adaptar-se aos novos tempos, à concorrencia e às novas tecnologias, sendo provavelmente aquele que melhor se tem adaptado, comparando com a televisão ou imprensa.
A Rádio Dom Fuas segue a tendencia do mercado. Além das suas emissões em FM, onde emite desde 1986, vai-se adaptando aos novos tempos com a emissão via streaming ou comunicando através da sua página na internet em www.radiodomfuas.pt. Tudo isto não esquecendo a presença e relação com a sua audiência através das principais redes sociais como o facebook ou instagram, onde volta a estar novamente mais próximo de quem a ouve.