Quatro jovens de Mira de Aire e de Minde criaram um movimento que pretende «agir em prol da comunidade […] numa perspetiva de união, de solidariedade, de puxar o melhor dos dois mundos [as duas terras]». India Saraiva, de Mira de Aire, Marta Moreira, João Afonso e Diogo Ferreira, de Minde, são o grupo fundador do movimento Mind’aire Move-te, criado no mês passado com intenção de minimizar a rivalidade antiga que existe entre as duas freguesias. «Isto surge de um contexto de violência não estrutural entre duas terras vizinhas, Mira de Aire, no concelho de Porto de Mós, e Minde, no concelho de Alcanena. […] Há violência entre as pessoas, não física, mas verbal, e não há ajuda comunitária, nem sentimos o bem comum», começam por referir, acrescentando que, enquanto jovens, gostavam «de tentar mudar estas mentalidades».

O nome foi fácil de escolher, fizeram uma mistura com os nomes das duas terras, Minde e Mira de Aire, e surgiu naturalmente o “Mind’aire”, o “Move-te” que se lhe segue é para «incentivar as pessoas a sair da sua rotina e a fazer alguma coisa em prol da humanidade». Além disso, «este movimento já tinha surgido nos anos 80, com o mesmo nome, só que nunca andou para a frente, não se sabe se por falta de adesão, de vontade…», explicam-nos os jovens que agora decidiram retomar a iniciativa. O objetivo primordial é então que este seja «um movimento informal» que “acende o rastilho” e que, depois, põe a comunidade a mexer.

Com a criação do projeto, surgiu a sua primeira iniciativa, uma recolha de bens para apoiar as vítimas dos furacões, em Moçambique. Depois de entrar em contacto com várias associações, Marta Moreira elaborou uma lista dos bens mais necessários. Assim, da lista constam alimentos enlatados com prazo de validade alargado; roupa e cobertores – tendo o grupo conseguido já uma parceria com uma empresa de Mira de Aire que os vai oferecer –; medicamentos como Brufen, Ben-u-ron, Fenistil e Biafine ou material de medicina, o básico para preencher um pequeno estojo de primeiros socorros; material escolar; escovas e pastas de dentes; alimentos para animais; e produtos para o tratamento da água. Desde o dia 16, e até ao final do mês de junho, que os bens podem ser entregues nas Juntas de Freguesia de Mira de Aire, Minde e Serra de Santo António; no TUMI, o autocarro que percorre algumas das aldeias da freguesia de Minde; ou nos bombeiros de Minde depois do horário de encerramento da Junta de Freguesia. Os bens serão depois entregues na Cruz Vermelha Portuguesa ou na embaixada de Moçambique em Portugal.