Porto de Mós ocupa o 134º lugar no Portugal City Brand Ranking, um ranking elaborado pela empresa Bloom Consulting, que «mede a atratividade e performance da marca dos 308 municípios portugueses nas áreas de Turismo (Visitar), Investimento e Exportações (Negócios) e Talento (Viver) através de uma metodologia quantitativa que congrega dados de performance estatística, de plataformas online e redes sociais e também da procura proativa pelos municípios através do algoritmo Digital Demand» criado pela própria empresa.

Em relação a 2018, o município subiu 16 posições, subida essa que, de acordo com João Neves da Bloom Consulting. , «é sustentada pelo desempenho muito positivo nos temas de Visitar e de Negócios, em que
subiu 16 e 28 posições, respetivamente. Em contrapartida o município registou uma evolução negativa na dimensão de Talento, onde viu a sua nota global descer por 0,01 pontos».

Entre os 100 munícipios que integram a Região Centro, Porto de Mós regista também uma subida no ranking (7 lugares) ocupando agora a posição 40. Alcançou a 45ª posição na dimensão de Negócios e 37ª posição no Turismo. Já a dimensão Talento «apesar de ter uma nota global menos positiva, beneficiou do desempenho menos positivo de alguns dos competidores diretos na região», explica o especialista.

Verificamos que “apesar de Porto de Mós descer cinco lugares na dimensão de Talento (Viver)» o município teve uma performance positiva em alguns indicadores estatísticos e digitais, sendo de realçar o 22º lugar a nível nacional na variável “taxa de desemprego”, o 50º na taxa de criminalidade e o 66º lugar no rácio habitantes/ensino superior. Como menos positivos surgem o Poder de Compra e o Digital Demand. No contexto regional «existe espaço para reforçar e melhorar a reputação na categoria de Viver».

Segundo João Neves «no computo geral Porto de Mós segue uma trajetória de afirmação na dimensão do Turismo sustentada pela subida de seis posições no que diz respeito ao Digital Demand, em termos absolutos e também pela subida de uma posição na Taxa de Ocupação. Assim, sublinha, «é claramente na variação no número de dormidas que o municipio consegue as posições mais favoráveis face aos principais competidores», estando na posição 14 a nível nacional. Este bom desempenho é reforçado a nível regional com a presença no Top 10 da Região (6º lugar).
O município afirmou-se na dimensão de Investimento (Negócios) tendo subido 28 lugares. . … destaca o facto de em 308 municípios, Porto de Mós ser «o 88º mais procurado no âmbito de negócios, o que demonstra uma proeminência importante face a investidores e empresários nacionais e internacionais». A nível regional subiu 11 lugares no que diz respeito e ao ocupar o 45º lugar aproxima-se das marcas de referência da região.

A marca Porto de Mós foi também analisada noutras vertentes, nomeadamente redes sociais e website. Na análise aos seguidores no Facebook, Twitter, Instagram e outras redes sociais verifica-se que Porto de Mós ocupa o 111º lugar na atração de visitas e interação com o portal online oficial do município e ocupa o 177º lugar na participação nas redes sociais. Na Região Centro consegue a 32ª posição no Desempenho Online e é o 55º município mais seguido entre os 100 que compõem a Região.

Pelos dados obtidos através do Digital Demand percebemos que o Turismo é alvo da grande maioria das procuras realizadas na internet sobre o município (62º) seguindo-se o Talento (36º) e por último os Negócios (3%) que substancialmente menos numerosos em pesquisas superam a média regional.

Olhando para a evolução do volume de pesquisas online sobre o concelho verifica-se que se passou de 19,15% em 2013/14, para 23,05 no período 2017/18.

Em 2018, as Brantags (agrupamentos temáticos compostos por pesquisas online resultantes de um conjunto de milhões de palavras-chave) mais procuradas relativamente a Porto de Mós foram Locais Históricos (com uma quota de 23,12%), Serviços Municipais (18,33%), Restaurantes (10,8), Empregos (9,11%) e Parques de Diversão (8,67%).

Pese embora estes resultados positivos, João Neves considera que existe ainda espaço para o municipio crescer e fortalecer a sua marca a nível regional e nacional, uma vez que 70% das brandtags analisadas neste ranking não apresentam ainda qualquer resultado para o município».

ISIDRO BENTO | tex