Esteve, até dia 8 deste mês, em fase de participação procedimental, a regulamentação do novo FabLab, dando a possibilidade à população de participar com sugestões na realização do regulamento. O FabLab que vai ser implementada no Espaço Jovem e Posto de Turismo da vila, é, segundo explicou a O Portomosense, o vereador da Informática e Sistemas de Informação, Marco Lopes, «um laboratório de fabricação digital equipado com um conjunto de ferramentas controladas por computador». Entre estas ferramentas estão, por exemplo «uma fresadora, uma máquina de corte laser, uma máquina de corte vinil, uma impressora 3D e um scanner 3D», além destes instrumentos, haverá também «uma bancada eletrónica, uma bancada de carpintaria e ferramentas de software de programação». O objetivo do Município, explica Marco Lopes, «é criar um espaço no qual estudantes, empresas e a comunidade possam partilhar conhecimentos e colocar em prática os seus projetos».

Outra das ideias para este espaço é «integrar os conceitos de indústria 4.0», incutindo «na comunidade e nos estudantes que estas são as ferramentas do futuro», esclarece o também vereador da Modernização Administrativa. Com a concretização deste FabLab, Marco Lopes prevê «a viabilização da criação de soluções para empreendedores e para as indústrias», sendo um «reforço à promoção da cultura, inovação e uma alavanca ao empreendedorismo».

Em nota, o Município explica que este «espaço disponibilizará, ainda, o apoio de um técnico especializado para apoio aos utilizadores, com formação e experiência na área». O FabLab, reforça a Câmara, «dotará a região de um pólo que disponibiliza tecnologia aberta à experimentação, propiciando condições e meios necessários a um ambiente de inovação e criatividade».

JÉSSICA SÁ | texto
IOLANDA NUNES