Um milhão de euros é o custo previsto das obras de remodelação das instalações da Santa Casa da Misericórdia de Porto de Mós. De acordo com a publicação do concurso público, no Diário da República n.º 206, II Série, do passado dia 25 de outubro, a intervenção tem a ver com a alteração da Estrutura Residencial para Idosos (ERPI) e terá um prazo de execução de um ano.

Começando por explicar que as obras deverão iniciar-se no final do primeiro trimestre ou início do segundo do próximo ano, o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Porto de Mós, Paulo Carreira, em declarações ao nosso jornal, adiantou que se trata de um edifício com perto de 30 anos, «construído por duas vezes», e que por via disso «há um desgaste com a sua utilização, o que vai obrigar a uma intervenção».

Melhorar as condições prestadas aos utentes é o que se impõe com esta intervenção, dum modo especial «modernização de estruturas básicas e remodelação das cozinhas», refere o responsável, acrescentando que serão «intervencionadas as redes elétricas, de água e de esgotos».

Estas melhorias vêm criar condições para o desenvolvimento de outro tipo de atividades relacionadas com a vida dos utentes, ao mesmo tempo que vêm reduzir os custos com a manutenção do edifício que sobrecarregam fortemente a instituição.

O investimento previsto «será de cerca de um milhão de euros», explica Paulo Carreira, sublinhando que este valor será suportado pela Santa Casa, recorrendo «a financiamento bancário, fundos próprios e apoio municipal», tendo ainda «efetuado uma candidatura ao programa Portugal 2020, com vista a obter fundos comunitários».

O edifício para onde estão programadas as obras, conta com 62 utentes na valência de lar, 20 em centro de dia e presta serviço a 30 utentes no serviço de apoio domiciliário. Entretanto a instituição vai adquirir uma viatura adaptada para transporte de pessoas portadoras de deficiência, cuja aquisição é apoiada pelo Município portomosense.

Recorde-se que a Santa Casa da Misericórdia de Porto de Mós foi fundada em 1516, conta com diversas respostas no âmbito do serviço social, a saber, ERPI (com valências de lar, centro de dia e apoio domiciliário), creche e jardim de infância e Unidade de Cuidados Continuados.