Um video de nove minutos, intitulado À descoberta de Porto de Mós, sobre o nosso concelho, abriu o concerto de encerramento do ciclo de música coral “Calçada Romana – Via de Cultura – Coros XXII (Sons Entre Mar e Serra)”, que se realizou no passado dia 14 de julho, em Alqueidão da Serra. Aproveitando a presença de várias pessoas de fora do concelho, em particular de cerca de 70 coralistas dos grupos convidados, a Associação Coral Calçada Romana (A.C.C.R.) pretendeu vincar um dos objetivos desta iniciativa, que passa por divulgar para o exterior o que temos de melhor para oferecer no nosso concelho.

A parte musical envolveu uma intervenção do Coral Calçada Romana, que foi muito elogiada, pelo acerto, pela afinação e pela expressividade. O grupo de Alqueidão da Serra, dirigido pelo Maestro Noé Gonçalves, apresentou um programa composto por quatro temas tradicionais portugueses e por “Irish blessing” e “Ride Chariot”, que contou com Beatriz Filipe como solista.

Seguiu-se o Coro Carlota Taylor, de Espinhal, Penela, um grupo com apenas três anos de atividade mas com um registo muito interessante. Dirigido pelo maestro José Santos e acompanhado ao piano por Rui Sérgio Oliveira, o coro de Espinhal apresentou sobretudo temas em português e terminou com um conhecido tema de Heitor Villa-Lobos, “Rosa Amarela”.

Encerrou este concerto o Orfeão do Centro Cultural da Guarda, dirigido pelo maestro argentino Gustavo Delgado. Do programa apresentado por este grupo destacaram-se alguns temas harmonizados por Lopes-Graça, um mix de canções populares argentinas e o último tema, “Romarias da Idanha”.

No final do concerto, o presidente da direção da A.C.C.R., Jorge Pereira, agradeceu a presença do muito público, que quase lotava a sala, e o trabalho de todos os coralistas, bem como o apoio do Município de Porto de Mós e, sobretudo, da Junta de Freguesia de Alqueidão da Serra. Toda esta colaboração, disse, “foi fundamental para que uma pequena instituição como a A.C.C.R. conseguisse levar a cabo com sucesso este ciclo de seis concertos”. Por seu turno, o presidente da Junta de Freguesia elogiou o dinamismo da A.C.C.R. e o seu papel no panorama cultural da freguesia e do concelho.

Todos os elementos das comitivas do Coro Carlota Taylor e do Orfeão do Centro Cultural da guarda elogiaram a hospitalidade recebida no Alqueidão, em particular o monumental lanche que foi oferecido no final do concerto.

Ciclo de música coral com balanço muito positivo

Depois de seis concertos, que visitaram cinco concelhos diferentes da nossa região, onde intervieram onze grupos corais diferentes, o balanço é largamente positivo. Os concertos tiveram assistências significativas e as juntas de freguesia que aceitaram receber concertos deste ciclo foram unânimes em considerar os concertos e a iniciativa, em geral, um sucesso.
Recorde-se que o ciclo de música coral teve início a 21 de junho, com um concerto do magnífico auditório da Filarmónica das Chãs (Regueira de Pontes – Leiria). Depois desse, seguiram-se concertos na Batalha, em Landal (Caldas da Rainha), São Martinho do Porto (Alcobaça), Alvados (Porto de Mós) e Alqueidão da Serra (Porto de Mós), como atrás se referiu.
O ciclo abriu com o coro mais jovem, o Coro Infantil da Escola de Música da Filarmónica das Chãs. Atuaram também nestes concertos o Coro Essence Voices (Ourém), o Grupo Coral Anima Choralis (Maceira – Leiria), o Coro Municipal da Lourinhã, o Coro do Círculo Cultural Scalabitano (Santarém), o Orfeão de Castelo Branco, o Coral Alva Canto (Alvaiázere), o Coro do Ateneu Artístico Vilafranquense (Vila Franca de Xira), o Coro Carlota Taylor (Espinhal – Penela), o Orfeão do Centro Cultural da Guarda e o Coral Calçada Romana (Alqueidão da Serra). O ciclo cresceu também em número de concertos em relação à última edição, sendo notória a aceitação que este formato vai tendo por parte das juntas de freguesia e das populações. JORGE PEREIRA| texto