Início » 14.ª edição do Corta-Mato de Pedreiras foi “um sucesso indiscutível”

14.ª edição do Corta-Mato de Pedreiras foi “um sucesso indiscutível”

13 Abril 2023
Jéssica Silva

Texto

Partilhar

Jéssica Silva

13 Abr, 2023

Realizou-se, no passado dia 2 de abril, o 14.º Corta-Mato do Grupo Desportivo das Pedreiras (GDP), prova que decorreu, como é hábito, no Parque de Campismo das Pedreiras e na qual participaram mais de 200 atletas de vários clubes da região, 40 dos quais do GDP e 17 d’Os Morcegos, a equipa de atletismo do CCRD Arrimal. Emanuel Moniz, treinador e coordenador técnico da equipa de atletismo do GDP, destaca a adesão das pessoas, não só as que decidiram participar como as que foram assistir à prova e apoiar os atletas. «Foi uma manhã bastante competitiva e alegre. O Parque de Campismo esteve lotado de pessoas, atletas e seus familiares. Foi um sucesso indiscutível», sublinha. Emanuel Moniz reconhece, contudo, que se não fosse o facto de a prova ter colidido com a Semana Santa, a afluência poderia ainda ter sido maior. «Àquela hora havia missa, por isso se tivesse sido numa altura diferente, certamente teríamos tido mais público», considera.

O Corta-Mato do GDP tem a particularidade de ser também conhecido pelo convívio existente fora dos limites da competição, o que, acredita Emanuel Moniz, o torna num evento único, sobretudo para a população da freguesia que já o vê como se de uma tradição se tratasse: «O pessoal das Pedreiras adere bastante e faz questão de marcar presença e isso notou-se muito este ano. São feitas filhoses e bifanas e as pessoas aproveitam para comer e estarem lá um bocado com o GDP». «Houve algum afastamento das pessoas da terra ao clube e agora está-se a ver o contrário. Há, cada vez mais, uma maior ligação», reconhece.

Bruno Gaspar, do AC Vermoil, foi o grande vencedor da prova geral de seniores masculinos, ao conseguir terminar em 25m10s, seguido de Vítor Dinis, do GA Caranguejeira, que completou os 7,4 quilómetros em 25:28. «Em todas as provas houve uma grande competitividade mas nesta é de realçar o facto de ter havido uma luta até ao fim, foi bastante gratificante de se ver», afirma Emanuel Moniz. Na geral de seniores femininos foi Adriana Coelho que levou a melhor, ao conseguir concluir a prova com a marca de 23.15, seguida de Ana Bonifácio que cortou a meta em 24.29. Em sub-20 houve apenas dois participantes, Márcio Dias, da AE Cister Alcobaça, e Pedro Rocha, do CA Nazaré, que com 20:55 e 28:28 ficaram, em primeiro e segundo lugar respetivamente. No escalão juvenis, os primeiros dois lugares do pódio foram ocupados por atletas do GDP, o primeiro por Cristóvão Monteiro (12:07) e o segundo por André Moreira (12:24). Isa Ferreira alcançou o quarto lugar, terminando a prova em 13:56, seguida de Rita Durão, d’Os Morcegos (14:00). Em iniciados, Lourenço Nunes do CD Bombarral, foi o primeiro a cortar a meta (6:50), Tomás Sousa, do GDP, conquistou o terceiro lugar com 7:19 e Dinis Martins (7:34), d’Os Morcegos, alcançou o quarto lugar no pódio. No escalão sub-14, Álvaro Andrade (5:53) levou a melhor, por um único segundo, sobre Afonso Silva da Best. Em Benjamis B, destaque para Jéssica Pereira, da ACRDC Sismaria, que terminou em 3:36, seguida de Santiago Neto, da Best. Em Benjamis A, da série 1, Diana Dinis, do CA Marinha Grande, e Maria João Carla, do Industrial Vieirense, cortaram a meta exatamente ao mesmo tempo (2:05). Na série 2, Guilherme Silva (1:49), da Best, e José Monteiro (1:57), do AC Batalha, foram os atletas que mais brilharam no seu escalão.

“Nunca é tarde! Aos 49 anos, o primeiro corta-mato”

Esta edição teve a particularidade de ser a primeira, na qual participaram atletas do Ficar em Forma, o mais recente projeto do GDP, e que nas palavras de Emanuel Moniz foi uma «aposta ganha», esperando agora que a iniciativa se possa repetir. Dos 16 participantes a competir na categoria 3.150 km Fica em Forma, 14 são elementos desse grupo, 13 dos quais mulheres que nunca haviam participado numa prova do género: «Elas deslumbraram-se porque foi a primeira vez que participaram num corta-mato, superaram as suas expectativas. Pelas publicações e pelos comentários que fizeram, foi uma manhã bastante positiva, um dia diferente, em pleno», frisa. «Nunca é tarde! Aos 49 anos, o primeiro corta-mato», escreveu uma das atletas, um comentário que espelha bem o significado que este desafio teve para as participantes. As atletas contaram com a ajuda de Susana Feitor, uma atleta bastante conhecida no meio que, segundo Emanuel Moniz, «injetou energia positiva» nas participantes.

Publicidade

Este espaço pode ser seu.
Publicidade 300px*600px
Half-Page

Primeira Página

Em Destaque