O Município de Porto de Mós, em parceria com o GrupoPIE, acaba de lançar uma plataforma digital cujo o objetivo é «incentivar» a compra no comércio local e «dinamizar» a economia do concelho. «As plataformas digitais e as vendas à distância estão cada vez mais presentes nas nossas vidas e nós não podíamos, nem queríamos, ficar de fora desse processo», frisa o presidente da Câmara, Jorge Vala. A criação do cartão 360 Porto de Mós, que é simultaneamente uma aplicação e página web, foi despoletada pela pandemia, mas o objetivo é que este «modelo facilitador» para os empresários que queiram utilizar outro canal para vender os seus produtos, continue a ser utilizado no futuro. «Esta plataforma irá permitir aos empresários, comerciantes e prestadores de serviços terem uma montra digital onde todos podem aceder aos produtos, serviços e descontos», explicou Marco Lopes, vereador com o pelouro da Informática e Sistemas de Informação e responsável pelo projeto, na sessão de lançamento realizada, online, no passado dia 25 de março.

Nessa plataforma os comerciantes aderentes terão liberdade para publicarem fotografias dos seus produtos ou serviços, sem que exista qualquer limite, e ainda, aplicar promoções, o que defende Edgar Freitas, é um dos aspetos fundamentais para o sucesso deste canal de vendas e para que o «consumo seja incentivado». «Uma das regras é que os comerciantes deem um benefício a quem apresente esse cartão no seu estabelecimento. Cada comerciante poderá atribuir o desconto que quiser, mas nós estipulamos um mínimo de cinco por cento», afirma o gestor do projeto 360 City.

No webinar, Fernando Freitas, CEO do GrupoPIE, destacou a relevância do projeto para os comerciantes, tendo em conta o momento atual: «É uma loja sem custos, porque não tem empregados, não tem eletricidade e não tem água, mas que irá gerar receitas para os comerciantes». Apesar deste projeto ser local, está integrado no marketplace nacional o que significa que os comerciantes vão conseguir comunicar com «milhares de consumidores» não só de Porto de Mós, como do resto do país.

Como irá funcionar?

Cada família irá receber gratuitamente o cartão 360 Porto de Mós onde consta um código QR, através do qual poderá descarregar a aplicação 360 City, já disponível, e a partir daí conseguirá visualizar as ofertas de todos os comerciantes, podendo efetuar compras e optar pelo meio de entrega mais conveniente. Edgar Freitas esclarece que tudo o que está no cartão físico estará na aplicação, e por isso, cabe a cada munícipe utilizar a forma que considerar «mais confortável».

Dado o primeiro passo, o da apresentação, e depois de ter sido disponibilizado aos comerciantes interessados um «formulário de ativação», o responsável pela implementação operacional no terreno do projeto 360 City explica como tudo se irá proceder daqui em diante: «Nós vamos ter uma equipa técnica que irá visitar pessoalmente cada um dos comerciantes, que dará uma formação e que fará a instalação no aplicativo que o comerciante desejar». Apesar do projeto ser «totalmente gratuito», a partir do sétimo mês passará a ter dois módulos pagos (opção de encomendas e acesso ao espaço de promoções e destaques). Contudo, Edgar Freitas faz questão de sublinhar que os comerciantes que não queiram essas funcionalidades, grátis nos primeiros seis meses, poderão continuar sempre presentes na plataforma «sem nunca pagarem nada».

No final da apresentação, o presidente da Câmara, mostrou-se esperançoso de que «dentro de pouco tempo» a plataforma possa estar a ser amplamente utilizada. «O nosso objetivo é conseguirmos ter o maior número de comerciantes, de transações e de clientes para os nossos comerciantes», destacou Jorge Vala, revelando que este cartão servirá, também, para ajudar as famílias abrangidas pelo projeto de apoio à natalidade.