Tudo começou na pandemia: «Foi quando parou o país e o pessoal estava todo com os clássicos nas garagens», revelou um dos fundadores do grupo Amigos dos Clássicos, Ricardo Calado, que esteve à conversa com O Portomosense no encontro deste mês. O administrador diz que atualmente existem cinco pessoas com esta função para facilitar a organização dos encontros mensais do grupo que, segundo Ricardo Calado, acontecem sempre ao primeiro domingo de cada mês, junto ao Mercado Municipal da vila sede de concelho.

«Começámos no Facebook, abrimos um grupo a que chamámos Amigos dos Clássicos de Porto de Mós», conta Ricardo Calado, admitindo que a sede do grupo acaba por ser esta mesma rede social. O grupo conta atualmente com cerca de mil membros. «Desses mil membros, aficionados dos clássicos são todos, mas proprietários de clássicos pelo menos 500». Nos encontros presenciais, conta, «vêm sempre, pelo menos, uns 30 a 40 clássicos», dependendo também das condições meteorológicas. Ao todo, o espaço permite reunir cerca de 60 clássicos, afirma. «O objetivo é a conversa, o convívio, o estar e o trocar ideias», essencialmente sobre clássicos, garante. «Neste momento, o que temos feito são sobretudo os encontros e o passeiozinho pela vila», avança. O organizador revela que futuramente pretendem fazer um encontro organizado, «onde seja possível levar a família, fazer-se uma “almoçarada”, um convívio e visitas ao concelho». Ricardo Calado, acredita que muitas pessoas do concelho não conhecem as suas atrações, como por exemplo o Castelo e as Grutas de Mira de Aire, pelo que destaca a importância da possibilidade de realização destes passeios como uma forma de dar uma visão mais abrangente do concelho de Porto de Mós, ao mesmo tempo que se convive e se fala de carros clássicos, que é a paixão comum de todos os que participam.

Cerca de um ano e oito meses é a idade dos Amigos dos Clássicos, que, segundo Ricardo Calado, já reúne nos seus encontros não só pessoas do concelho, mas também de outras zonas como Santarém, Caldas da Rainha, Foz do Arelho ou Marinha Grande. O administrador admite que o «grupo tem crescido nos últimos tempos» e acredita «ter pernas para andar». Atualmente, além do grupo de Facebook e de um encontro por mês, os Amigos dos Clássicos têm também bandeiras e autocolantes com o nome do grupo para colar nos veículos participantes. Para divulgar os encontros, há ainda um responsável pela parte da comunicação, que realiza vídeos e fotografa os eventos, para depois divulgar no Facebook. É com orgulho que Ricardo Calado diz que isto é mais do que um grupo de carros, motas, carrinhas e motorizadas antigas, salientado que é um grupo de pessoas, de convívio e de muita união.

Fotos | Rita Batista