A recuperação da Casa dos Calados, na freguesia do Juncal, estará mais perto de se tornar uma realidade. Depois de a abertura do procedimento para iniciar a obra ter sido aprovado na última reunião camarária, esta quarta-feira, dia 24, foi publicado em Diário da República o anúncio do lançamento do concurso público para execução dos trabalhos, com um investimento previsto de «um milhão e 300 mil euros». «Passados praticamente 19 anos após aquisição do edifício por parte do Município (25 de junho de 2002) esta obra vai finalmente ser concretizada», garante a Câmara Municipal de Porto de Mós, em nota de imprensa.

Para o Município, esta obra representa a «devolução» à população do concelho de Porto de Mós de um «espaço de memória», que apesar de hoje se encontrar «muito degradado», constitui-se como «um dos mais importantes testemunhos» da afirmação socioeconómica da freguesia do Juncal, como é o caso da Real Fábrica do Juncal, ali fundada em 1770.

O atual executivo contratou o projeto de reabilitação a um dos descendentes do antigo proprietário (arquiteto Rafael Calado) e o objetivo é que este assente em «princípios de sustentabilidade». Tendo por base a cerâmica e o junco, duas das atividades com mais impacto e tradição no Juncal, o edifício albergará um conceito de «Residências Artísticas, com inclusão de espaços de cowork e ateliers para ofícios». Outra das ideias que se prevê que seja implementada no espaço é a «recriação de atividades» da antiga Real Fábrica do Juncal, assim como a «realização de workshops» cujo o intuito é o de que funcionem «em paralelo» com a biblioteca (mediateca) e um museu de louça e cerâmica. Segundo explica o Município na mesma nota, uma das ambições é que o antigo lagar da Casa dos Calados possa suportar a construção de um FoodLab (laboratório alimentar). Por outro lado, será ainda criada uma «sala ampla» no edifício principal, designado de Salão Nobre, onde, refere a Câmara, poderão ser realizados eventos e solenidades, «num espaço com a dignidade que o Juncal justifica».