Quase à portas das eleições legislativas de 30 de janeiro, há mais um portomosense a concorrer à Assembleia da República. Trata-se de António Ferraria, o líder histórico dos agricultores do distrito de Leiria e que volta à luta política integrado na lista da CDU por Leiria
António Ferraria, cujo nome não constava da listagem a que inicialmente tivemos acesso, ocupa a 14.ª e penúltima posição na lista encabeçada por Heloísa Apolónia, o “rosto” do Partido Ecologista Os Verdes, força partidária que com o Partido Comunista Português (PCP) forma a CDU.

Em declarações ao nosso jornal, o dirigente associativo natural de São Bento, explica que é por vontade própria que ocupa um dos últimos lugares mas que o empenho que coloca neste desafio é idêntico ao que teria se ocupasse algum dos primeiros lugares. «Concorro pelo lado da agricultura. Como os problemas do setor não são poucos e estão-se a agravar, decidi aceitar o convite», justifica.

Do programa eleitoral realça as propostas que lhe são mais caras como a criação de um programa de revitalização da agricultura no distrito, nomeadamente da agricultura local/familiar, de pequena e média dimensão, sob o princípio “produzir local, consumir local”; o apoio à revitalização de atividades como a pastorícia, a apicultura, a silvicultura ou a olivicultura não intensiva; o combate à monocultura do eucalipto, e a concretização de um plano célere e eficaz para a reflorestação da Mata Nacional de Leiria. O candidato defende, ainda, medidas que visem combater a desertificação.

Com 74 anos de idade, António Ferraria conta com quase 45 de luta pela agricultura regional e nacional, sendo um dos rostos mais conhecidos e respeitados dos movimentos de agricultores. Do seu currículo consta, entre outros, a passagem pela direção da Confederação Nacional de Agricultores (CNA), a liderança da Federação de Agricultores do Distrito de Leiria e mais recentemente a presidência da União dos Agricultores do Distrito de Leiria, de que é hoje secretário.

A nível autárquico já foi três vezes deputado municipal em Porto de Mós. Nas últimas autárquicas concorreu à presidência da Assembleia Municipal, quatro anos depois de ter sido candidato à Câmara. Há vários anos chegou a integrar a lista da CDU ao Parlamento Europeu.