Foram conhecidos no passado dia 25 de setembro, os resultados do estudo que resultou de um protocolo entre a Câmara Municipal de Alcobaça e o Instituto Politécnico de Leiria assinado em julho de 2019. O objetivo do estudo era perceber «as soluções quer de acessibilidade pedonal quer a nível da mobilidade urbana na cidade de Alcobaça». Entre as principais propostas do Plano de Mobilidade Urbana Sustentável de Alcobaça, divulgou a autarquia, estão «intervenções diversas nas 66 travessias pedonais identificadas, a criação de novas rotundas, criação de uma rede de ciclovias urbana, reforço da segurança dos passeios pedonais por via do alargamento e remoção de obstruções e a redução ou eliminação das barreiras arquitetónicas».

O presidente da Câmara de Alcobaça, Paulo Inácio, frisou, citado em comunicado, que o «confinamento decorrente da pandemia» veio intensificar a importância das questões da mobilidade urbana, nomeadamente ao «nível da utilização dos transportes públicos, as condições de circulação rodoviária, a necessidade de criar condições de usufruto e acessibilidade pedonal e ciclável dos diversos espaços da malha urbana das cidades». O autarca explicou ainda que este estudo é um «plano estruturante e revolucionário que propõe sobretudo uma reflexão que tem de ser feita de forma pública para se apurar que tipo de cidade» Alcobaça quer ser. Paulo Inácio refere que este estudo é o «começo de um trabalho que se impõe há muito tempo» e que «as questões da mobilidade e das acessibilidades têm que ser vistas de forma abrangente porque são transversais a todos os cidadãos e em particular, a todos aqueles com mobilidade condicionada».

Também citado na nota de imprensa, o professor João Silva, coordenador da equipa do Politécnico de Leiria que executou o plano, considerou que «Alcobaça tem todas as condições de segurança e de conforto» e que as propostas apresentadas «têm na sua grande maioria um caráter dinâmico, sujeito a revisões regulares, e poderão ser executadas no médio-longo prazo, uma vez se tratam de afinações e correções que carecem de uma discussão pública aprofundada». O Plano pode ser consultado na página da Câmara Municipal de Alcobaça.