Foi aprovada com três abstenções da oposição, em reunião de Câmara, a «cessão da posição contratual da concessão do bar, sito no edifício das Piscinas Municipais de Porto de Mós e do pequeno Bar de apoio às piscinas exteriores». «Esta é uma situação de que não estávamos à espera. Quem explorava o bar das piscinas decidiu sair, vai abrir um espaço comercial noutro sítio e colocou-nos esta questão da possibilidade de fazer a cessão de posição contratual, até porque tem algum investimento em equipamento», explicou o presidente da Câmara de Porto de Mós, Jorge Vala. Desta forma o contrato até então estabelecido passa automaticamente para outro concessionário: «Para alguém do ramo, do nosso concelho que tem concorrido ao concurso público».

O vereador socialista, Rui Marto, questionou se desta forma «se mantém o negócio que lá está ou se se passará a ter novo negócio», levantando ainda a dúvida em relação ao pequeno bar anexo às piscinas exteriores que tem estado fechado. «As pessoas reclamam é o facto de não existir nada nas piscinas exteriores, porque o restaurante, se não estiver aberto, vai-se a outro lado», frisou Rui Marto. O presidente esclareceu que a «posição de cessão contratual é exatamente manter o negócio que lá está»: «A pessoa que vai para lá tem que dar seguimento ao negócio». Quanto ao bar das piscinas, o vice-presidente da Câmara, Eduardo Amaral, esclareceu que «deixou de ser explorado porque começou a ser alvo de assaltos».

Foto | Jéssica Moás de Sá