Meio milhão de euros é quanto o Município da Batalha vai disponibilizar para apoio aos pequenos negócios, através de um programa de relançamento da economia e do investimento, para fazer face às dificuldades impostas pela pandemia de COVID-19. «Será uma espécie do nosso plano de recuperação e resiliência, em que vamos dotar com meios financeiros aqueles que, por uma razão ou outra, tenham de fechar as suas atividades», foram as palavras do presidente da Câmara, Paulo Batista Santos, durante uma conferência de imprensa, na qual adiantou que se estima uma quebra de mais de um milhão de euros na hipótese, na altura ainda não confirmada, de fechar as atividades no concelho nos dois próximos fins de semana.

O anúncio deste programa acontece num momento em que a Batalha é o único concelho do distrito de Leiria que integra o grupo de 121 municípios abrangidos pelo atual recolher obrigatório, por serem considerados de risco elevado de transmissão do novo coronavírus. De acordo com Paulo Batista Santos, prevê-se ainda que os empresários que tiverem então de fechar os seus negócios, por força da situação epidemiológica, «possam receber 85% do valor das despesas que manifestamente demonstrem ter, quer de investimento quer de receitas que perdem fruto destas medidas de contingência».

O autarca fez saber também que o programa vai abranger «micro negócios até 100 mil euros, bem como as atividades comerciais e de restauração», prevendo-se que o valor a afetar permita «acompanhar, pelo menos, 200 empresas». Terá ainda de ser aprovado pela Assembleia Municipal o regulamento do programa, mas a expetativa do Município é que fique disponível em «meados de dezembro».