O Politécnico de Leiria (IPL), a Associação Empresarial da Região de Leiria (NERLEI) e a Associação Nacional da Indústria de Moldes (CEFAMOL) estão a promover o programa Bolsas + Indústria, que tem como objetivo integrar os estudantes no mercado de trabalho «através da atribuição de bolsas aos melhores estudantes e do desenvolvimento de atividades conjuntas que proporcionem aos mesmos um contacto mais próximo com o tecido empresarial desde o primeiro ano». As candidaturas a este programa podem ser feitas até 7 de fevereiro, preenchendo o formulário online disponível em https://maisindustria.ipleiria.pt/edicao-2021-2022/. «As empresas devem indicar o curso e ano que pretendem premiar. Os estudantes serão seriados no início do segundo semestre, considerando o mérito e as áreas de formação com interesse expresso pelas empresas aderentes. As experiências de imersão em contexto empresarial e o desenvolvimento de projetos poderão ter início em abril próximo», é revelado em comunicado.

As bolsas, financiadas pelo tecido empresarial, vão ser atribuídas a estudantes de licenciatura e de mestrado. «No âmbito das bolsas de estudo para licenciatura, cada empresa pode atribuir uma ou mais bolsas a estudantes de licenciatura, de qualquer curso do Politécnico de Leiria, direcionando a sua oferta para diferentes anos do respetivo plano de estudos. O valor das bolsas para estudantes do primeiro ano é de 500 euros, para estudantes do segundo ano de 600 euros, e para estudantes do terceiro ano (ou do quarto quando se aplique) de 700 euros», é explicado no comunicado. Em relação aos mestrados, as empresas interessadas devem submeter «aos coordenadores de curso as suas propostas de temas de dissertação/do trabalho de projeto/relatório de estágio do projeto aplicado, a desenvolver no segundo ano do(s) mestrado(s) selecionado(s) pelas empresas, comprometendo-se a apoiar o estudante selecionado com um valor pecuniário de três mil euros». O protocolo entre o IPL, NERLEI e CEFAMOL existe desde 2013 e desde essa altura já foram atribuídas «223 bolsas, representando um apoio que ascende a 216 mil euros por parte de 62 empresas da região» e foram contemplados «14 cursos diferentes» entre a oferta do IPL.