Apesar de a data já ter sido assinalada com um vídeo de homenagem às bombeiras do concelho, no próprio dia, o Dia Internacional da Mulher voltou a ter destaque na última Assembleia Municipal (AM), que regressou ao formato presencial. No decorrer da sessão, a presidente da Assembleia, Clarisse Louro, deixou uma palavra de agradecimento a todas as bombeiras e salientou que um concelho deve «dignificar, homenagear e reconhecer aquele que é o seu maior património, as pessoas». Clarisse Louro, que fez parte do vídeo de homenagem, salientou que foi «muito gratificante conhecer todas» as bombeiras que juntam «à sua condição de mulher, a sua entrega ao próximo, o seu esforço, a sua coragem, o seu ato voluntário, a sua resiliência na proteção e socorro das populações». A receber os diplomas e também um troféu esteve uma representante de cada uma das três corporações de bombeiros do concelho, Mira de Aire, Porto de Mós e Juncal. «Durante a semana, serão entregue nas vossas corporações todos os outros diplomas e troféus às restantes mulheres bombeiras», garantiu a responsável autárquica.

Também presentes estiveram representantes das direções das três corporações para receber o valor correspondente ao das senhas de presença dos elementos que integram a AM. Na altura, Clarisse Louro lembrou o teor da moção assinada pelos líderes de bancada, e à qual se associaram os presidentes de Junta e o executivo camarário, aprovada na última sessão, em que estes «considerando os tempos de crise sanitária que vivemos e consequente crise económica, considerando que os bombeiros voluntários estão desde a primeira hora na linha da frente sem medo ou receio, colocando em causa a sua própria integridade e em benefício da segurança e da saúde da população, considerando que é importante o nosso reconhecimento e a nossa gratidão pelo esforço e pela dedicação destes homens e mulheres», propunham que o valor referente àquela sessão, auferido a título de senhas de presença, fosse atribuído às três corporações de bombeiros do concelho. Clarisse Louro explicou ainda que a distribuição do donativo foi «realizada de forma equitativa» pelas três corporações.