Na última reunião de Câmara, o executivo aprovou por unanimidade um «apoio às Associações Humanitárias dos Bombeiros Voluntários de Porto de Mós, Mira de Aire e Juncal e Associação Serviço e Socorro Voluntário de São Jorge» (ASSV São Jorge), no âmbito «das medidas excecionais e temporárias adotadas pelo Município de Porto de Mós na vigência da pandemia COVID-19», de acordo com o documento aprovado a 6 de agosto. A vereadora da Ação Social, Telma Cruz, explicou, na reunião, que «foi definido atribuir 15 mil euros» para estas instituições porque «além de terem funções diferentes, há uma em comum que é o transporte de doentes. Com a pandemia houve uma redução na receita de transporte de doentes, porque não havia consultas e houve grandes quebras».

Assim, aos bombeiros de Porto de Mós foi atribuído um apoio de 6 075 euros; à corporação de Mira de Aire, 3 780 euros; aos bombeiros do Juncal, 3 645 euros; e à ASSV São Jorge, 1 500 euros. Os valores foram apurados, no caso dos bombeiros, «com base nos critérios (ocorrências, efetivos, viaturas, área e população) considerados pela atribuição do subsídio anual pelo Município»; para a ASSV São Jorge, o valor tem em conta «a quebra das receitas».