O Município da Batalha está a reforçar o investimento na Educação. Em nota enviada à nossa redação, a autarquia anunciou esta semana que «vai disponibilizar um montante superior para as bolsas de estudo aos alunos carenciados do Ensino Superior, para o ano letivo 2020-21». A mesma nota informa que, «no ano transato, beneficiaram desta medida cerca de 60 estudantes, tendo a autarquia disponibilizado cerca de 30 mil euros para esta medida de apoio às famílias do concelho, estimando-se um acréscimo de 20%» para este ano.

O prazo para as candidaturas iniciou no passado dia 1 e prolonga-se até 15 de outubro, devendo os documentos e formulários, disponíveis no site da Câmara, ser entregues no edifício dos Paços do Concelho. O comunicado dá ainda conta que «os estudantes que estejam a frequentar cursos de ensino superior nas Universidades da Beira Interior (Covilhã) e dos Açores (Ponta Delgada), beneficiam de uma majoração de 50% no valor das bolsas atribuídas, na sequência de acordos realizados com os municípios respetivos».

Município oferece livros de fichas

Já em agosto, o presidente, Paulo Batista Santos, havia dito a O Portomosense que «o Município tomou a decisão de financiar integralmente os livros de fichas e cadernos de atividades, a todos os alunos do concelho da Batalha e, inclusive, os do ensino secundário que estão a estudar fora da Batalha». «Desde 2016, oferecíamos os manuais escolares aos alunos. Entretanto o Governo decidiu fazer essa entrega gratuita, mantendo de fora aqueles livros e cadernos de atividades que, não sendo obrigatórios, na maior parte dos agrupamentos de escolas, são recomendados», frisa. Foi tendo em conta tudo isto e o facto de serem «um encargo suplementar para os agregados familiares» que a autarquia decidiu intervir.

Por esta medida vão ser abrangidos cerca de 1500 alunos, num investimento total de mais de 100 mil euros. «Temos condições para o fazer, iremos fazê-lo», salienta o presidente. Paulo Batista Santos explica ainda que, até ao dia 30 de setembro, podem ser feitas as candidaturas: «Podem inscrever-se, fazem o pedido e nós verificamos se é aluno da Batalha, identificam a fatura e nós devolvemos o dinheiro no âmbito daquilo que é uma competência que temos», esclarece.

De recordar que o Município da Batalha tem, desde 2014, a competência da Educação, de todos os níveis de ensino e Paulo Batista Santos diz-se, por isso, «muito empenhado em corresponder àquilo que é a expectativa das famílias do concelho». Também ao nível da creche, a Câmara comparticipa parte das mensalidades, havendo ainda «um ATL praticamente gratuito». A rematar, o autarca afirma que, para a Câmara Municipal da Batalha, «a componente da educação é muito importante para que as famílias tenham condições de igualdade, para que todos possam vir à escola e que a questão económica não seja fator de discriminação dos alunos».