A pouco mais de um mês para o fim do inverno, todo o território de Portugal continental está em seca. A escassez de chuva, mais evidente nos últimos dois meses, tem levado a um agravamento da situação que piora a cada dia que passa. Os números falam por si: em janeiro deste ano 17,2% do território estava em situação de seca extrema, 39,3% em seca severa e 43,5% em seca moderada. O tempo é, por isso, de contenção.

Tendo em conta aquele que é o panorama nacional, o Município de Porto de Mós decidiu agir e está a apelar à população para que haja uma redução no consumo de água. Depois de já o ter feito na carta da água, vai agora voltar a fazê-lo mais intensamente com a realização de uma campanha de sensibilização em outdoors, mupis e na comunicação social para que as pessoas percebam que há várias medidas que podem e devem ser adotadas no nosso quotidiano para reduzir os gastos de água. Aliás, na última reunião pública do executivo, o presidente da Câmara fez questão de dizer que «internamente» já estão a dar o exemplo e até partilha dados que corroboram isso mesmo. «Na comparação de janeiro de 2021 com janeiro de 2022 tivemos uma redução superior a 30% no consumo próprio. É sinal que a efetiva redução de consumos está a resultar», considera, acrescentando que já foi adquirido mais um equipamento para a deteção de fugas de água.

Por outro lado, prevê-se que arranque no próximo mês um concurso escolar para «o uso responsável de água e da energia» que visa «premiar as escolas com maior desempenho na redução de consumo de água e energia por aluno». Neste momento estão a ser definidas as normas que irão nortear o concurso, onde estará envolvida a equipa do Jovem Autarca.