«Comecei a ficar cansada de andar sempre sozinha, então comecei a convidar pessoas», diz Carla Leirião. Em conversa com O Portomosense, um dos membros da direção do Clube Desportivo Ribeirense, começou por explicar como surgiu esta nova atividade do clube. A tesoureira do Ribeirense conta que as caminhadas faziam parte da sua rotina, mas que fazê-las sem companhia «começou a tornar-se cansativo», por isso pensou em propor a atividade ao clube e admite que «estas caminhadas em grupo, iniciaram apenas com quatro pessoas, mas já contam com pelo menos 16» e «a perspetiva é que o número aumente», acredita.

As caminhadas acontecem todas as quintas-feiras, pelas 21 horas e o ponto de encontro é a sede do clube, refere Carla Leirião. Para a responsável esta é «uma forma dinâmica e criativa de puxar as pessoas a pensarem também nelas e na sua saúde, saindo de casa», considera. A nova atividade iniciou há um mês, mas a partir do momento em que «o flyer saiu, aumentou o número de participantes», revela.

Da corporação para a população

Juntar a população em prol da saúde de todos é também o objetivo da iniciativa Caminhemos Juntos, promovida por uma outra associação do concelho, nomeadamente a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Juncal. Em conversa com O Portomosense, Catarina Valentim, bombeira da corporação e um dos membros da direção, explica que a ideia partiu dela e do marido, numa altura em que estariam a iniciar uma dieta e precisavam de praticar algum tipo de desporto. «Comentámos com colegas dos bombeiros, eles também acharam boa ideia e começaram a aderir connosco», refere Catarina Valentim, acrescentando que a ideia inicial de caminhar com os colegas da corporação foi, entretanto, alargada a toda a comunidade. A bombeira garante que, com estas caminhadas, se pretende «promover a saúde e o bem-estar de todos, tanto dos bombeiros como da população em geral, favorecendo ainda a ligação entre o corpo de bombeiros e a comunidade». Sem necessidade de qualquer tipo de inscrição, refere que o processo é simples: «As pessoas só têm de aparecer às 20 horas, em frente ao quartel dos bombeiros do Juncal, às terças e quintas-feiras», informa. O percurso feito é normalmente de cinco ou seis quilómetros e vai alterando dependendo dos participantes, assim como a dificuldade do mesmo, explica Catarina Valentim. Para tornar a caminhada mais segura, cada participante deve levar um colete refletor e uma lanterna, numa atividade que tem como um dos principais objetivos juntar a comunidade.

Revisão | Catarina Correia Martins