Pedro Miguel, operário fabril, residente na freguesia das Pedreiras, vai ser o candidato da CDU à presidência da Câmara Municipal de Porto de Mós confirmou ao nosso jornal fonte da coligação que junta comunistas e “verdes”. Já a lista concorrente à Assembleia Municipal (AM) vai ser encabeçada por António Ferraria, conhecido como o “líder dos agricultores do distrito” e que nas eleições autárquicas anteriores foi o candidato à Câmara pela CDU.

A conversa com o candidato sobre a sua candidatura à Câmara fica “agendada” para o nosso próximo número (nas bancas a 13 de maio). Se de Pedro Miguel ainda pouco se sabe, de António Ferraria muito se conhece. O sambentonense tem um longo historial no movimento associativo, nomeadamente nas organizações de luta pelos direitos dos agricultores do distrito (e nacionais) e já por duas vezes passou pela Assembleia Municipal de Porto de Mós. Reconhecendo que os resultados eleitorais nas últimas autárquicas ficaram aquém das expectativas, a mesma fonte disse a O Portomosense que o objetivo ao nível da AM é tentar reconquistar o lugar perdido e que era ocupado por António Ferraria até às eleições em que concorreu à Câmara. «Trata-se de uma pessoa com provas dadas, respeitado da direita à esquerda, e uma voz que os munícipes de Porto de Mós já mostraram que gostam de ouvir na AM. Portanto, esperamos que volte a ser eleito», justificou.

Para já, ainda não se sabe a quantas juntas de freguesia será apresentada candidatura por parte da CDU «uma vez que a esse nível o processo está mais atrasado».

AJSIM decide hoje

Entretanto, hoje, deverá ficar decidido se o movimento AJSIM, liderado por Albino Januário, se apresenta a votos. De acordo com as nossas fontes, «é bastante improvável que isso venha a acontecer» mas o seu responsável máximo, questionado pelo nosso jornal, garantiu-nos que «a decisão definitiva só será tomada esta quinta-feira e depois, naturalmente, tornada pública».

Recorde-se que o movimento AJSIM, que teve e tem como figura central, Albino Januário, o vice-presidente do anterior executivo camarário, elegeu nas últimas autárquicas, dois vereadores: o próprio Albino Januário, que renunciou ao cargo depois de não ter conseguido conquistar a presidência da Câmara à qual se candidatara, e Marco Lopes, a quem o presidente da Câmara, então eleito, entregou vários pelouros, e que tem votado invariavelmente ao lado do PSD. Embora, o movimento nunca tenha retirado a confiança política a Marco Lopes, em termos práticos ficou representado, apenas, pela vereadora Sofia Caetano. Segundo várias fontes, os dois vereadores terão sido desafiados para lugares de relevo noutros projetos autárquicos e haverá também outras caras de “malas aviadas”, o que, a comprovar-se, deixaria o AJSIM com menos margem de manobra para se apresentar a eleições.

Iniciativa Liberal estreia-se nas autárquicas

Quem se prepara para se estrear nas autárquicas é o partido Iniciativa Liberal, que foi fundado, apenas, em 2017, e Porto de Mós está na rota das candidaturas. Em comunicado enviado à nossa redação, o partido, através do seu Núcleo Territorial de Leiria, informa que em plenário procedeu à aprovação local das candidaturas «a órgãos concelhios e de freguesia» dos concelhos de Porto de Mós, Alcobaça, Batalha, Leiria e Pombal, sendo que estas serão agora «apreciadas e deliberadas pela estrutura nacional do partido». Por esse motivo, explicou ao nosso jornal fonte autorizada do partido, mais nenhum pormenor pode ser dado, nomeadamente, quais os órgãos autárquicos específicos a que se irá candidatar nos concelhos referidos no dito comunicado.