Três pessoas foram detidas em flagrante delito, no passado sábado, por furto de metais não preciosos e posse de arma proibida, no cemitério do Juncal. O comunicado da GNR dá conta de que se trata de dois homens (de 46 e 52 anos) e uma mulher (de 41 anos). A ação decorreu «no âmbito de uma investigação criminal por furtos em cemitérios, que ocorreram no concelho de Leiria, os militares da Guarda encetaram diligências policiais que permitiram localizar os suspeitos em flagrante, no interior de um cemitério na posse de artigos que haviam furtado das campas, motivo que levou às suas detenções». Foram apreendidos: 10 lamparinas de cobre, seis jarras do mesmo material, um telemóvel, uma balança digital, um aerossol e uma lanterna. «Os detidos, com antecedentes criminais, após terem sido presentes ao Tribunal Judicial de Alcobaça», no próprio dia, «ficaram sujeitos à medida de coação de apresentações bissemanais no posto policial da área de residência».

Este foi o segundo assalto a um cemitério na mesma semana, já que na madrugada de quinta-feira, vários objetos metálicos foram roubados do Cemitério Novo de Porto de Mós. No final de abril, 32 lanternas haviam também desaparecido do cemitério da Calvaria de Cima.

Ao nosso jornal o presidente da Câmara, Jorge Vala, disse que «aparentemente trata-se de uma situação que começa a ser sistematizada e que deixa grandes preocupações», já que além do valor material, há ainda o valor sentimental e social, «porque percebe-se que as pessoas procuram qualquer coisa que valha qualquer coisa, para roubarem e isto deixa alguma preocupação. Sem ser novidade, este tipo de assaltos começa a acentuar-se na região», acrescentou.