Início » Central Termoelétrica vai para obras de novo

Central Termoelétrica vai para obras de novo

28 Fevereiro 2019
Armindo Vieira

Texto

Partilhar

Armindo Vieira

28 Fev, 2019

As obras na antiga Central Termoelétrica vão ser reiniciadas depois de terem sido suspensas por o Município entrar em conflito com a empresa adjudicatária, o que levou mesmo à revogação do contrato.

Na reunião do passado dia 14, a Câmara Municipal adjudicou a obra a outra empresa. Trata-se de um concurso «lançado com prévia qualificação, concorrendo inicialmente cerca de 30 empresas, das quais foram qualificadas sete», explicou o presidente do Município, Jorge Vala, adiantando que «estas sete empresas cumpriam as condições de qualificação exigidas, para poderem ir a concurso». Contudo e apesar de todas estas serem convidadas «só uma apresentou proposta», acabando por lhe ser adjudicada «pelo valor de um milhão e 995 mil euros».

Antes desta informação, o autarca trouxe à sessão «um bocadinho da história do processo», referindo que aquando da sua tomada de posse, a obra não estava a ser executada, uma vez que havia «um conflito com o anterior executivo» e, após a análise do conflito “tomámos a decisão de revogar o contrato com a empresa» que havia adjudicado a obra. Para trás fica um procedimento jurídico que terá chegado ao fim, embora «haja um processo em tribunal com a empresa».

Com isto e depois da empresa «ter saído de cena» decidiu-se «em primeiro lugar, não alterar nada do projeto e em segundo lugar, socorrermo-nos da lei para termos alguma cautela», afirma o edil.
Jorge Vala adianta que não «há necessidade de fazer outro tipo de procedimento, do que apenas convidar esta empresa a apresentar a documentação necessária e obrigatória», para submeter o processo ao Tribunal de Contas e «darmos início à obra».

Mantendo a postura de que «esta não é uma obra prioritária», o autarca acrescenta que se trata de «uma obra que vamos concluir com gosto e com determinação», porque é um obra onde «o Município já investiu» e, além disso, «há fundos comunitários em jogo».

Fiscalização independente

Também o vereador Rui Marto que, como se sabe, fazia parte do executivo anterior, falou desta obra. Depois de referir que se ouviu «falar muita coisa, a maior parte delas com pouca fundamentação», afirmou estar «espantado com a situação de só uma empresa apresentar proposta».

O autarca socialista, que considera a requalificação da Central Termoelétrica «uma prioridade», sustenta que embora a primeira adjudicação fosse efetuada, como a atual, «com algum cuidado», o certo é que a empresa «além de nos prejudicar porque não fez a obra», ainda «nos prejudicou de forma gravíssima, porque fez um preço que não cumpriu», sendo por isso «uma empresa que fez muito mal a Porto de Mós».

Jorge Vala informou também que a autarquia «está em paralelo com um procedimento de contratação de uma empresa de fiscalização para esta obra», com vista a retirar da obra os poucos técnicos da Câmara e, sobretudo «para colocar uma fiscalização intensiva de área permanente no acompanhamento das obras».

Armindo Vieira | texto
Isidro Bento
Beatriz Sousa | foto

Assinaturas

Torne-se assinante do jornal da sua terra por apenas: Portugal 19€, Europa 34€, Resto do Mundo 39€

Primeira Página

Publicidade

Este espaço pode ser seu.
Publicidade 300px*600px
Half-Page

Em Destaque