Não é a primeira vez que o Centro Hospitalar de Leiria (CHL) lança o repto à comunidade para «evitar o recurso ao Serviço de Urgência em casos pouco e não urgentes». Voltou agora a fazê-lo reiterando «a necessidade da colaboração dos utentes e de todos os intervenientes na rede de cuidados, para que as urgências hospitalares sejam usadas de forma correta». «A percentagem de atendimentos de casos pouco e não urgentes manteve-se acima dos 36,4% no CHL na primeira quinzena de dezembro», revelou Salvato Feijó, diretor clínico do CHL.

«Registamos ainda outra questão preocupante, que está a verificar-se a nível nacional, que é o recurso dos utentes à ADR-SU (as Áreas dedicadas a Doentes Respiratórios), quer por referenciação do SNS24 para fazerem testes à Covid-19, quer por iniciativa própria para confirmar resultados de autotestes, ou com sintomas ligeiros de COVID-19. Na última semana temos registado um aumento médio de quatro atendimentos por dia», acrescentou o responsável.

Para os utentes não urgentes, o CHL aconselha a recorrer «à linha SNS 24 (808 24 24 24), disponível para esclarecer as dúvidas e encaminhar se necessário, 24 horas por dia, todos os dias, bem como aos cuidados primários, dirigindo-se ao seu Centro de Saúde para serem assistidos pelo seu médico de família, ou pelo seu médico assistente, ou serem observados na Consulta Aberta.

Cada médico tem, no seu horário, períodos diários de consulta não programada destinados, preferencialmente, a situações de doença aguda dos seus utentes, como febre, tosse, vómitos, diarreia e dor, por exemplo», conclui.