Foto: Catarina Correia Martins

Começou, no dia 1 de fevereiro, a iniciativa Asas do Tempo, que resultou de uma candidatura feita em parceria entre a Associação Tempos Brilhantes e o Município de Porto de Mós. Em declarações a O Portomosense, Bruno Santos, coordenador da Associação Tempos Brilhantes no concelho, explicou que o objetivo é claro: «aumentar a oferta [de atividades] para os seniores. Até aqui só tínhamos a atividade Felicidade pelas Artes, assim acrescentámos duas horas por semana de novas atividades», nomeadamente Geração TIC e Saúde e bem estar, que já estão disponíveis em todas as freguesias do concelho.

A Geração TIC é uma aula dedicada à informática, tema que a população sénior já tinha manifestado interesse em ter no concelho. Bruno Santos acredita que a curiosidade em relação a esta área está relacionada «com as redes sociais», acrescentado que «eles querem saber mexer no facebook, trabalhar com o skype porque alguns têm familiares longe». Esta atividade oferece ainda uma vertente que ensina «a ir às páginas da internet, a consultar, por exemplo, a página da segurança social ou a pesquisar vários campos de interesse» de cada um. Já Saúde e bem estar é uma “aula” que engloba diferentes componentes, «desde palestras, cuidados com a alimentação, caminhadas e ioga, tudo com o objetivo da saúde e bem estar», descreve.

O coordenador explica ainda que foram feitas «reuniões entre a Associação, o Município e todos os presidentes de Junta e que todos concordaram com a iniciativa», assim «o apoio logístico» fica a cargo de cada Junta. Também as inscrições, que são gratuitas, devem ser feitas na Junta, onde são fornecidas todas as informações necessárias, como os horários e local das aulas. A adesão está a ser positiva, conta Bruno Santos, uma vez que, grande parte das pessoas «que já estavam na atividade Felicidade pelas Artes, inscreveram-se nas outras duas», e em algumas freguesias a aula de Geração TIC já está preenchida. O responsável esclarece ainda que as turmas das aulas de informática «são menores para conseguir dar um apoio personalizado», nas restantes atividades o «número máximo de inscrições é de 20 pessoas».

Bruno Santos alerta para «o problema que a sociedade atual tem que resolver», ao lembrar que «hoje em dia os seniores fecham-se em casa, acabam por ficar parados e a cabeça começa a não pensar». Neste sentido, o coordenador adverte que é «importante que todos os dias os seniores se arranjem, saiam de casa e que façam exercícios, nem que seja uma hora por dia», ainda «para mais», acrescenta o responsável, «em Porto de Mós em que há uma zona serrana, em que os seniores estão mais isolados do resto da população» e estes projetos dinamizados numa parceria associação/município vêm, precisamente, tentar contrariar essa tendência para o isolamento dos mais velhos.