Depois de na semana passada Carlos Guerra, atual comandante do Centro Distrital de Operações de Socorro de Leiria e ex-vereador da Câmara de Alcobaça, ter sido dado como o candidato pelo Partido Socialista à Câmara Municipal de Alcobaça, a concelhia vem agora, em comunicado, mostrar que a escolha não foi unânime e acusa o presidente da Federação do PS, «no caso o presidente da Câmara da Nazaré», Walter Chicharro, de se intrometer «nos assuntos internos de Alcobaça». Isto porque, sem que se fizesse prever e «violando os compromissos repetidamente firmados, até em ata, os jovens socialistas e o seu líder Diogo Ramalho, que tinham direito a votar por inerência, alteraram inesperadamente a sua posição e passaram a apoiar a minoria», tornando-a na maioria e fazendo com que saísse vitorioso o nome de Carlos Guerra, na reunião do passado dia 12 de março.

O presidente da concelhia desde 2018, Rui Alexandre, vinha sendo anunciado como o previsível candidato nas próximas autárquicas, tendo sido criado um grupo de apoio integrado pelo histórico socialista nacional João Soares, e tendo sido noticiado em vários órgãos de comunicação social que era a escolha unânime entre os membros do Secretariado. No entanto e de acordo com nota da concelhia enviada à nossa redação, «há cerca de dois meses, porém, a minoria propôs uma reunião em que deu conta que preferia outro líder para a Câmara», hipótese que, refere a mesma nota, «o candidato alternativo, conhecido por desenvolver uma carreira profissional onde tem beneficiado de algumas nomeações, por parte do executivo PS, afirmou só aceitar se conseguisse reunir consenso geral».

No dia 12 soube-se então o veredito e o PS de Alcobaça vem agora afirmar que «a maioria do Secretariado/Comissão Política entende solicitar a imediata suspensão de uma candidatura que considera precipitada e divisionista e que, assim nascida, só poderá conduzir os socialistas de Alcobaça a mais uma vergonhosa derrota eleitoral». No mesmo comunicado lê-se ainda que, caso se mantenha a escolha de Carlos Guerra, será apresentado «um programa renovador e listas independentes a todos os órgãos autárquicos do concelho, compostas por pessoas de reconhecida competência técnica, capazes de honrar compromissos, de dignificar o nosso concelho e de cumprir a vontade de mudança» dos alcobacences.