Ana Fernandes, do Juncal, é educadora de infância no Jardim de Infância de Pedreiras e está afastada «dos seus meninos», como lhes chama, desde que a quarentena começou. As saudades dos seus alunos e de «contar histórias» foi quase imediata e foi este sentimento que fez nascer um novo projeto. «Tinha saudades dos meus alunos e achava que devia, no mínimo, fazer alguma coisa para eles se sentirem bem, já que tinham que ficar fechados em casa tanto tempo. A única coisa que eu achava que lhes podia dar, era contar histórias, porque eles gostavam tanto e eu também gostava tanto de as contar», explica a educadora. Partilhou esta vontade com os seus filhos, que lhe lançaram logo um desafio: por que não criar um canal de Youtube? Assim nasceu o canal Histórias para todos com a Ana.

A educadora teve algumas dúvidas iniciais, até por não dominar as tecnologias, no entanto, os filhos comprometeram-se a ajudá-la a “pôr em marcha” e a fazer crescer este canal. Ana Fernandes diz que acaba por ser um «trabalho colaborativo», sendo que um dos filhos filma, outro trata da edição e comunicação e a mãe conta as histórias. Os filhos começaram também a divulgar nas suas redes sociais o projeto, assim como algumas colegas de trabalho a quem o revelou e a partir desse momento o seu canal começou a ser visitado. Por sugestão da filha criou uma página de Facebook onde «tem partilhado os vídeos que estão no Youtube», uma forma «de chegar a mais gente». Apesar de ter começado no dia 20 de março a partilhar, já tem «mais de 100 seguidores» e tem recebido sempre «comentários positivos». Não tem uma regularidade definida para a partilha, até porque, admite, «é preciso ter a disposição e alegria, necessárias para contar histórias», frisa, lembrando que os seus alunos «e os outros meninos do mundo merecem» que as histórias sejam contadas com «sorrisos, boa disposição e energias positivas».

Ana Fernandes diz que esta é a sua «migalha para este mundo em que estamos confinados em casa». As novas tecnologias «ajudam a ficar mais perto dos outros» e se puder, a educadora fará tudo para «estar mais perto de todos os que se sentem sozinhos, todos os que precisam de um miminho». Ana Fernandes deixa ainda uma mensagem aos pais para que aproveitem o «privilégio» de estar com os filhos: «É um momento privilegiado de crescimento: fazer bolos com os pais, limpar a casa com os pais, fazer as atividades domésticas, cozinhar, jogar um jogo com paciência, fazer desenhos ou pinturas é uma forma privilegiada de educar filhos. Os pais aproveitem esta oportunidade, porque as crianças estão a aproveitá-la decerto e é muito bom ver no pai um parceiro, um amigo, alguém que está disposto a colaborar».