A Sé de Leiria foi demasiado pequena para acolher as centenas de pessoas, entre membros do episcopado português, clero da diocese, autoridades civis e fiéis, que quiseram marcar presença na cerimónia de tomada de posse do novo bispo da Diocese de Leiria-Fátima, que decorreu no passado domingo, dia 13. D. José Ornelas chegou «sem agenda nem programas feitos» mas com «muita liberdade, disponibilidade e esperança» de «continuar o ministério episcopal» iniciado em Setúbal, diocese onde foi bispo durante sete anos e que deixou para abraçar a missão lançada pelo Papa Francisco.

Embora reconheça que hoje a Igreja «vive um tempo novo» com «antigos e novos desafios», D. José Ornelas admite que trouxe consigo «um sonho», que fez questão de partilhar com todos os presentes. Um sonho de uma Igreja «em comunhão», de uma Igreja de «participação ativa de todos», de uma Igreja «em saída missionária», próxima dos mais fragilizados e excluídos da terra, e de uma Igreja que «conduza a um mundo novo». «Juntos podemos fazer com que esse sonho se torne realidade», considerou o também presidente da Conferência Episcopal Portuguesa.

Na homilia que proferiu na missa de tomada de posse, o novo bispo considerou «um privilégio e um desafio» suceder a D. António Marto, no cargo há 16 anos, que apresentou a sua renúncia. «Espero ser digno de continuar a ação iluminada, cordial e próxima com que serviu a Diocese», afirmou. Na passagem de testemunho, D. António Marto deu as boas-vindas ao novo bispo e desejou-lhe uma «feliz missão». «Peço a Deus que lhe conceda luz, sabedoria, saúde, serenidade, alegria espiritual», sublinhou.

Durante a cerimónia religiosa, o prelado saudou as várias entidades presentes e aproveitou para deixar uma mensagem, em especial, aos jovens: «Não vos deixeis ficar apenas como observadores da construção da nossa comunidade diocesana», apelou, acrescentando que o percurso sinodal e a Jornada Mundial da Juventude, que decorrem este ano, são ocasiões que não podem perder. «A Igreja conta convosco na primeira linha desta festa universal a vós especialmente dedicada», frisou.

A partir de agora, D. José Ornelas, de 68 anos, assume o ministério episcopal da Diocese de Leiria-Fátima, uma diocese que, pela sua dimensão, é considerada uma das mais importantes do país, e com a qual assume um «fascínio» pela sua história. No final da cerimónia, em declarações aos jornalistas, o novo bispo revelou que, neste momento, a sua primeira prioridade é «trabalhar, conhecer as pessoas e a realidade» e esclareceu que não vem para a Diocese «apagar fogos». «Venho para inserir-me naquilo que já está acontecendo, mas é evidente que os tempos vão sempre mudando e que vai sendo necessário fazer adaptações», acrescenta. Em resposta a uma pergunta sobre a guerra na Ucrânia, D. José Ornelas sublinhou a necessidade de nos escutarmos mais uns aos outros porque, acredita, só assim conseguiremos encontrar «caminhos de diálogo da vida concreta».

Foto | Jéssica Silva