David Salgueiro, atual líder da bancada socialista na Assembleia Municipal de Porto de Mós, é o novo presidente da concelhia do Partido Socialista (PS), eleito unanimemente na sessão realizada no passado dia 31, numa lista que tinha como objetivo «ser o mais agregadora e motivadora possível».

Segundo uma nota enviada à nossa redação, as eleições para esta estrutura partidária foram «um momento estruturante da vida democrática», em que se deu voz aos militantes e onde «cerca de 70% dos inscritos votaram» na lista encabeçada por David Salgueiro, com «um misto de renovação», em que se conta com a continuidade de alguns elementos, nomeadamente Rui Marto, vereador do executivo camarário pelo PS.

Em declarações a O Portomosense, David Salgueiro explica que o que se pretende é que se «consigam consolidar novas práticas de participação que fomentem uma reflexão interna com a contribuição de ideias e soluções de políticas públicas locais», de forma a que se consiga ter «um maior diálogo com a sociedade civil», contando, para isso, independentemente da sua orientação no passado, «com todos aqueles que não se revejam neste atual estado da governação do nosso concelho».

Desenvolver um trabalho de proximidade com a população é um dos objetivos da nova liderança do PS no concelho, prevendo-se para este mês «o lançamento de um roteiro de proximidade pelas freguesias», como explica o novo líder, adiantando que «esta será uma nova forma de fazer política», que se pretende implementar, percorrendo todas as freguesias do concelho «com reuniões informais com as IPSS, associações locais e empresários», porque se entende que é «junto da população que se pretendem identificar as necessidades e preocupações atuais», assim como «definir prioridades e apontar soluções concretas».

Papel importante na oposição

Considerando que irá continuar a ter «um papel importante na oposição à atual Câmara liderada pelo PSD», como já o vem fazendo «enquanto líder de bancada do PS apoiado pelos seus vereadores», David Salgueiro refere que o seu partido «não se revê na orientação concreta deste executivo», uma vez que atualmente «já passaram mais de dois anos, que foram perdidos, com muita propaganda política e pouco trabalho no terreno».

Por outro lado, considera que «tem sido um desempenho fraco na atual governação, com falta de capacidade de execução, de implementação de projetos estruturantes, uma incapacidade de captação de novas empresas e fundos comunitários relevantes», acrescentando que o PS local tem «duas preocupações prementes relativamente à saúde e à educação», prometendo continuar a desenvolver um trabalho de sensibilização junto das entidades competentes no sentido da resolução de problemas como o da Escola Secundária, «sem uma solução à vista, tal como a saúde que continua com bastantes deficiências».

Questionado sobre se para este novo desafio está a contar ter o apoio de João Salgueiro, o antigo presidente da Câmara, David Salgueiro confirma a disponibilidade do ex-autarca para ajudar naquilo que lhe for possível, tendo sido, inclusive, o mandatário desta candidatura. «É sempre uma pessoa muito bem vinda e muito importante no desenvolvimento das novas ideias e projetos que vamos apresentando. Contamos com ele e com todos aqueles que não se reveem neste tipo de trabalho, ou falta dele, no nosso concelho, sejam militantes ou não», conclui, adiantando que já este mês «haverá um espaço físico aberto a toda a população, independentemente das suas orientações partidárias no passado, para, de uma forma aberta, construtiva e motivadora se desenvolver um bom trabalho em prol de todos os portomosenses».

A lista eleita para os órgãos executivos foi a seguinte:

Secretariado: David Salgueiro, Gisela Ferreira, Rui Marto, António Pereira Carvalho, Rita Pereira, Rita Miguel e Luís Sampaio
Mesa da Assembleia Geral: Maria Lídia Semião, Joaquim Santiago Alves, Jorge Paulo Carvalho e Pedro Ferreira.