No ano passado, foram realizadas pelo menos três detenções por violência doméstica nas freguesias de Alcaria, Arrimal e Porto de Mós. Todos os detidos são do sexo masculino e encontram-se em prisão preventiva.

A última detenção ocorreu no passado mês de dezembro. Um homem de 61 anos foi detido por agredir física, verbal e psicologicamente a mulher e os filhos. Na sequência de diligências de investigação, o Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas, do Comando Territorial da GNR de Leiria, numa ação que teve o reforço de militares do Posto Territorial de Porto de Mós, apurou que o suspeito, de 61 anos «durante os 38 anos da relação conjugal, agredia física, verbal e psicologicamente a sua esposa, uma mulher de 61 anos», lê-se no comunicado enviado à nossa redação.

Processos acumulados anteriores e a denúncia por parte de uma pessoa próxima da família acabaram por desencadear a ação dos militares da GNR.

Na mesma nota lê-se ainda que os três filhos do casal, «atualmente com idades entre os 35 e 38 anos, também eram vítimas de agressões e ameaçados de morte reiteradamente», apesar de, atualmente, apenas um viver com os pais.

O homem foi detido e presente a primeiro interrogatório judicial no Tribunal Judicial de Leiria, onde lhe foi aplicada a medida de coação de prisão preventiva.
A nível nacional, ao longo do ano os números não pararam de aumentar, e em muitos casos revelou-se fatal, sendo que até ao final do mês passado, eram já 35 as pessoas mortas neste contexto, a juntar aos dados divulgados em novembro pelo Governo. Uma das últimas ocorrências foi registada na cidade de Leiria. Uma mulher de nacionalidade brasileira foi assassinada no apartamento onde residia com o companheiro e os dois filhos menores.