Foram milhares as pessoas que no passado fim de semana estiveram de olhos postos no céu por toda a Europa com vista à observação de aves, no âmbito da celebração do 25.º aniversário do EuroBirdWatch. Por terras lusas, o concelho de Porto de Mós foi um dos 20 locais selecionados pela Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves, com o intuito de conceber essa celebração em Portugal. O convite à população, que partiu do Munícipio de Porto de Mós e da Associação Vertigem, proporcionou que no passado dia 5, houvesse um programa repleto de atividades no concelho dedicado aos apaixonados pela observação de aves, que incluiu visitas guiadas, apresentação de um livro e concurso de fotografia.

Tendo o Centro de Interpretação das Serras de Aire e Candeeiros (CISAC) como ponto de encontro, o dia começou cedo, pelas oito horas, com o registo e organização dos participantes para as visitas de campo que começariam meia hora depois. Divididos em três grupos, cerca de 60 pessoas de vários pontos de Portugal e também estrangeiros residentes no país, saíram de Porto de Mós com o objetivo de fazer três dos sete itinerários disponíveis com vista à observação de aves na região: São Bento – Alvados; Ribeira de Cima – Zambujal de Alcaria e Arrimal.

Outra das atividades contempladas neste evento consistiu na apresentação do livro Aves do concelho de Porto de Mós e de mini guias, para a prática de birdwatching (observação de aves). Este foi um projeto que a Associação Vertigem começou a preparar há cerca de um ano a convite da Câmara. No auditório do CISAC, Rui Cordeiro, presidente da Vertigem afirmou que o objetivo principal foi «promover o birdwatching», o «património natural» do concelho e ainda «divulgar uma atividade» que «não é muito característica aqui na zona», mas que tem um «potencial enorme».

Rui Cordeiro começou por fazer uma viagem no tempo, recuando até 1999, quando procederam ao primeiro Encontro Internacional de Observadores de Aves. Nessa altura, «99% do auditório era composto por técnicos do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas». Hoje a realidade é diferente. Além dos técnicos, a plateia já estava composta por pessoas que «têm gosto pela natureza e em especial, pelas aves».

Rui Cordeiro vê na observação de aves não uma «atividade específica de determinado tipo de formação» mas sim um «passatempo, um hobbie». Neste contexto, o livro que pode ser encarado como um auxiliar, ajuda a que as pessoas se tornem autónomas nessa atividade.

Salientando a importância da Associação Vertigem como parceira do Munícipio, o presidente da Câmara Municipal de Porto de Mós, Jorge Vala, frisou que a perspetiva de projetos tem de partir do facto da consciência de que aquilo que a região possui tem de ser «preservado e conservado». Jorge Vala aproveitou para relembrar que no futuro, o concelho vai ter espaços identificados para a observação de aves, tendo como base os mini guias e enquadrados no projeto turístico de natureza.

O dia terminou no CISAC, com a apresentação dos trabalhos selecionados no concurso de fotografia e a consequente entrega de prémios aos melhores trabalhos na categoria de fotografia a preto e branco e a cores.