A Escola Secundária de Porto de Mós e a Escola Básica Doutor Manuel de Oliveira Perpétua fazem parte da lista das escolas onde o amianto vai ser removido, ao abrigo de um programa que vai custar 60 milhões de euros e será financiado por verbas comunitárias. Estes dois estabelecimentos vêem agora cumprida uma vontade reclamada há vários anos.

De acordo com o despacho publicado em Diário da República, das 578 escolas distribuídas por Portugal continental, 218 ficam no Norte e 163 na Área Metropolitana de Lisboa. Há ainda 107 escolas no Centro, 59 no Alentejo e 31 no Algarve. As escolas incluídas neste programa são da rede pública da educação pré-escolar, do ensino básico e do ensino secundário. Este programa para erradicar o amianto nas escolas foi anunciado no início do mês, aproveitando o encerramento dos estabelecimentos de ensino devido à pandemia de covid-19.