A data de conclusão prevista era 30 de setembro, porém, «a falta de material» levou a que o prazo para o fim das obras na antiga Central Termoelétrica de Porto de Mós não fosse cumprido. Segundo o presidente da Câmara Municipal de Porto de Mós, Jorge Vala, esta tem sido a principal condicionante no decorrer das obras que impediu que o empreiteiro conseguisse terminar a tempo. «Já tive o relatório da fiscalização externa, que nós contratámos, e existem alguns problemas com a entrega de materiais», refere a O Portomosense. O autarca lembra que o problema da escassez de material é «comum e transversal» a todo o país e que aliás tem restringido também a evolução das obras no posto de turismo da vila.

Esta semana, Jorge Vala tem reunião marcada com o empreiteiro das obras e também com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional «por causa dos fundos comunitários». Ainda assim revela que, segundo lhe foi dito, os arranjos exteriores da Central «vão ficar completos esta semana». Em contrapartida, a parte interior está «mais complicada» precisamente por causa da falta de materiais.

Com Isidro Bento