Foto CMPM

No dia 14 de agosto e como forma de celebrar os 634 anos da Batalha de Aljubarrota, a Câmara Municipal de Porto de Mós promoveu a segunda edição da Festa da Luz, que teve lugar na Praça da República, na vila sede de concelho. Do programa fizeram parte ateliers de artes e ofícios tradicionais, atuações do grupo Al-mendroim Malatitsch, um baile folk, um cortejo da luz e um espetáculo de fogo.

Apesar de a noite não estar quente e de ter até chuviscado, foram muitas as pessoas que participaram na festa, para assistir às atuações ou petiscar nas várias tasquinhas presentes no evento.

Comemoração “civil” do 14 de agosto

O presidente da Câmara Municipal de Porto de Mós, Jorge Vala, disse em declarações a O Portomosense que o evento «correu bem» e que este é «um momento em que Porto de Mós assinala o 14 de agosto e a Batalha de Aljubarrota como o fazem os Municípios da Batalha e de Alcobaça». «É o assinalar civil», uma vez que a cerimónia militar tem lugar, todos os anos, no Campo Militar de São Jorge, referiu. Não querendo «colidir com o significado e a importância que têm estas comemorações nos outros concelhos», o autarca considera que esta «é uma batalha que teve dimensão e importância nacionais, definiu o futuro do nosso país enquanto Estado independente, e portanto nunca é demais assinalar a data».

Assim, a Festa da Luz foi «a apresentação e o trazer à memória as artes e ofícios daquele tempo», havendo lugar também para o projeto Aire, «com a professora Marisa Barroso, os ranchos folclóricos e a comunidade em geral a dançarem e a aprenderem as danças tradicionais», e a terminar, «o espetáculo de luz e fogo que envolveu algumas centenas de pessoas na Praça da República». Fazendo um balanço positivo, Jorge Vala revela que «foi com muito gosto e de uma forma muito grata que a população recebeu mais uma vez» este evento.

Foto: Catarina Correia Martins