As Grutas de Mira de Aire, no concelho de Porto de Mós, consideradas as maiores grutas de Portugal, foram distinguidas com o Prémio Empresa Sustentável, «por criarem emprego e riqueza para o país e para a região, ao longo de mais de 50 anos», adiantou o presidente do conselho de administração das Grutas de Mira de Aire, Carlos Alberto Jorge, em declarações a O Portomosense. A distinção foi atribuída pela Associação Empresarial da Região de Leiria (NERLEI), durante o jantar-conferência comemorativo do 37.º aniversário desta associação empresarial, que homenageou ao todo 12 empresas da região, associadas da NERLEI.

Carlos Alberto Jorge acredita que este prémio é um «reconhecimento do trabalho desenvolvido» pela empresa. «Muita persistência, estar sempre a criar novos produtos e investir também na vertente científica», são os segredos do sucesso apontados pelo responsável, que destaca também a parceria com a Sociedade Portuguesa da Espeleologia como uma mais-valia para a realização de trabalhos científicos.

As Grutas dos Moinhos Velhos, mais conhecida atualmente por Grutas de Mira de Aire, foram constituídas ainda em 1971 e na altura eram apenas uma exploração turística. Hoje em dia, a evolução e o reconhecimento das grutas são notórios e devem-se essencialmente à preocupação com a inovação, garante Carlos Alberto Jorge, acrescentando que apesar da «grande âncora continuar a ser as grutas, existe todo um complexo turístico que alberga alojamento, restauração e parques naturais». A evolução e a atualização, baseadas nas tendências de mercado, são uma constante no trabalho desenvolvido nas Grutas, que por fazerem parte da direção da Associação Internacional das Grutas Turísticas, conseguem ter mais alcance também a nível mundial, através dos intercâmbios, permitindo que sejam divulgadas com mais facilidade internacionalmente.

O jantar-comemorativo da NERLEI realizou-se ontem e contou com a presença do Ministro da Economia e do Mar, António Costa e Silva.