A minha burra deu uma volta por aí… e não foi à procura das morsas que terão ido de férias ou à procura de um dia dos namorados próximo que lhes aconselhe acasalamento. E viu:
– Instalações municipais renovadas com novas hierarquias… Diferente e estranho: Uns encavernaram, outros assoalharam… Dizem as más línguas que a cor dos olhos mandou no baralho das cartas da distribuição funcional… ou não funcional, num mudar por mudar… e mais parecido com uma espécie de jogar à lerpa… Bem me parece que daqui a dias, na azáfama do trabalho, as rodinhas das cadeiras vão fazer a folha àquilo tudo… Enquanto as vespas asiáticas eram imoladas pelo fogo, estranhamente sem cobertura mediática duma qualquer estação televisiva, nem acompanhamento policial de jeito.
Mas viu mais, enquanto procurava um reconfortante café… desta vez café… que Miquelina nem sempre se enfia em minis:
– Mais máquinas no Parque Verde, cada vez mais castanho… Uma coisa que querem a caminho da água, ao que dizem, vira lama e mais lama e cada vez mais lama… A malta, mesmo habituada à aventura, tem de usar botins até aos ditos cujos… E pois! Mais pois! E mais pois!!!…
E como a minha burra andou por aí, tipo Santana Lopes, foi ouvindo coisas. Depois, numa de Avilez, misturou aquilo tudo, como se de uma feijoada se tratasse, que para além de genuinamente portuguesa, até requentada sabe bem, lá concluiu, numa premonição bem mais que certa, que qualquer aposta numa vitória benfiquista num placard qualquer:
– À boa maneira americana, quase tão criativa como Walt Disney e tão combativa como os mega combates de boxe de Las Vegas ou de Nova Iorque, regados de muitos milhões de dólares, adivinha-se um duro combate entre o supercampeão, de pesos pesados, Grandal do Pinhão, e o mais que promissor pluma Marquito de la Junca, numa espécie repetição fo assinalável jogo de socos entre Joe Frazier e Muhammad Ali, no memorável combate do Madison Square Garden, em que o puto levou a melhor, para não mais perder o cinturão. Com muito melhor jogo de pés, pela sua leveza, parece ameaçar seriamente o reinado, ainda que curto, do tifo poderoso supercampeão.Certo é, e sem qualquer dúvida, que o Marquito não voltará a envergar as cores da equipa que lhe vestiu o equipamento municipal.
Longe disso! Legitimamente ambicioso, e muito, apesar de transferido à má fila dos binistas para os laranjinhas…sabe-se lá porquê… e nas soberanas graças do treinador Valadas, vai fazer futuro… O grandalhão que se cuide!…

615 | SN