Um dos objetivos do movimento rotário é o de homenagear profissionais de várias áreas, que se destaquem pelas suas carreiras, sempre baseados na ética e no desenvolvimento de boas condutas. Por essa razão o Rotary Club de Porto de Mós prestou homenagem de Mérito Profissional ao Instituto Educativo do Juncal (IEJ).

A cerimónia decorreu, no passado dia 6, num restaurante do Juncal, onde estiveram presentes, além dos representantes do IEJ, Paulo Caldeira e Ana Gonçalves, administradores, e Tânia Galeão, diretora pedagógica, Telma Cruz, vereadora da Educação da Câmara Municipal de Porto de Mós, e Olga Silvestre, deputada na Assembleia da República.

A responsável pelo protocolo, Clarisse Louro, explicou os motivos que levaram o clube a reconhecer publicamente este estabelecimento de ensino do concelho, «inaugurado em 1989, pelo ministro Roberto Carneiro», referindo depois que esta homenagem «é um orgulho para o clube». De acordo com a representante do Rotary, o IEJ tem sabido ultrapassar «esta mudança de paradigmas, abraçando novas ofertas», com as quais «tem divulgado o nome de Porto de Mós». Salientou ainda que tudo isso se deve «ao bom trabalho desenvolvido por professores, técnicos e responsáveis», aliados à colaboração dos «alunos, pais e toda a comunidade juncalense».

Bons resultados no desporto escolar

Depois deste momento, dois ex-alunos fizeram uma pequena representação, onde teceram elogios à escola e a todo o seu quadro docente e não docente, assim como, aos responsáveis.
Em nome da instituição homenageada, começou por falar Tânia Galeão, a diretora pedagógica, que desenvolveu uma pequena resenha histórica do estabelecimento de ensino, com «cerca de 800 alunos com ensino privado», sendo «uma escola aberta ao mundo», afirmou.

Depois de explicar que o IEJ está próximo do Município de Porto de Mós, que o tem ajudado bastante, a diretora pedagógica recordou também os bons resultados obtidos na vertente desportiva. Foi depois exibido um pequeno vídeo com os melhores momentos do IEJ, desde a sua fundação, até aos dias de hoje.

Paulo Caldeira, por sua vez, salientou o facto de esta homenagem ser «um reconhecimento prestado a todos os que compõem o IEJ, dum modo especial alunos, funcionários e professores», assim como «a toda a comunidade local, pelo serviço prestado».

Aproveitou ainda para agradecer à Câmara Municipal de Porto de Mós «todo o apoio dispensado e que tem sido muito importante», assim como a «todas as entidades parceiras».

Nesta ocasião intervieram vários professores e funcionários, cabendo a todos palavras elogiosas ao estabelecimento de ensino juncalense que é uma «escola que passados 30 anos continua a ser a mesma e, até inovando», como foi referido por um docente.

IEJ é uma família

Em nome do Município portomosense, usou da palavra Telma Cruz, que começou por referir que esta é «uma homenagem à comunidade educativa do Juncal, pelo projeto educativo do IEJ, que se tem pautado por diversas competências».
A autarca enfatizou que o IEJ tem um projeto que «não está fechado à comunidade», pois tem atividades e projetos importantes, sendo que «está sempre presente nas atividades do Município».

Depois de afirmar que «as pessoas que constituem o IEJ são uma família, porque todos vestem a mesma camisola», Telma Cruz referiu que «perdeu turmas, mas teve a capacidade de abraçar outras atividades, o que foi importante para continuar o seu projeto educativo».

Usou da palavra ainda Olga Silvestre que salientou o facto do Instituto Educativo do Juncal merecer o mérito atribuído, pelo «que faz em prol da comunidade».

Coube a António Alves, presidente do Rotary Clube de Porto de Mós, encerrar a cerimónia, dizendo ser «um orgulho estar nesta evocação ao IEJ, por se tratar de uma escola onde todos são uma família, podendo considerar-se uma escola de afetos», uma vez que se trata de «uma instituição que é rotária sem o ser».