Desde meados do corrente mês que o presbitério, vulgarmente conhecido como Capela-mor, da igreja paroquial da Calvaria de Cima se encontra em obras de reabilitação.
Segundo o pároco local, padre José Henrique, estas obras têm a ver com «a adaptação daquele espaço às normas do Concílio Vaticano II», em que o objetivo é «dar outra imagem da zona de presidência do templo».

A zona alvo de intervenção foi «adaptada temporariamente na altura da implementação das normas do Concílio Vaticano II», aponta o sacerdote, adiantando que só agora se verificou haver condições para executar as obras.

Assim, a obra em execução irá mostrar que o ponto central da igreja é o altar, ficando com uma conceção inspirada em Santa Marta, padroeira da paróquia, na sua atitude de acolhimento de Jesus em sua casa, aparecendo com a figuração de umas mãos abertas em serviço.

O pároco da Calvaria de Cima explica que a ideia de proceder a esta adaptação surgiu logo que entrou na paróquia, há pouco mais de três anos, mas «só agora se reuniram as condições para a concretização da obra», porque havia a necessidade de consultar a paróquia, apresentar os valores e ver qual a melhor altura para as realizar. A melhor altura foi agora e espera-se que em finais de março próximo as obras estejam concretizadas e o presbitério em condições de se realizarem as celebrações.

A obra de reabilitação, cujo projeto é da responsabilidade do arquiteto Humberto Dias, representa um investimento «orçamentado em 28 mil euros».
Enquanto decorre a intervenção, as celebrações realizam-se no corpo da igreja, que se adaptou para que as mesmas não saíssem do templo.

Casais de Matos recebe novas imagens

Na mesma paróquia, o retábulo da Capela de Casais de Matos foi restaurado há algum tempo, por se encontrar «em muito mau estado», tendo a recuperação seguido «à risca o retábulo inicial», como explica o padre José Henrique, acrescentando que o mesmo «apresentava dois pequenos nichos, para a colocação de imagens».
Desconhecendo-se quais as imagens de santos que ali existiram, um de cada lado da imagem de Nossa Senhora da Guia, venerada no respetivo templo, optou-se por ali colocar «as imagens dos Pastorinhos de Fátima, Jacinta e Francisco Marto, canonizados em maio de 2017», revela o sacerdote, acrescentando tratar-se dos mais recentes santos portugueses e que, além disso, «são da nossa Diocese».

As novas imagens, de madeira e que se apresentam com uma candeia na mão direita e um terço na mão esquerda, foram adquiridas através das ofertas do povo do lugar e colocadas durante a celebração do passado dia 1 de janeiro.