Na altura de comprar carro usado há cada vez mais pessoas a optar por fazer a escolha do modelo e, em muitos casos, a própria compra, através da internet. Em 2020 o mercado de usados decresceu, embora menos que o de automóveis novos, no entanto, o tráfego na Standvirtual, a maior plataforma de venda online de veículos usados em Portugal, registou no ano passado um aumento de 14% do número de utilizadores.

No webinar promovido pela Standvirtual e pela ACAP para análise da performance do mercado no ano de 2020, Daniel Rocha, da ACAP, adiantou que, por distritos, Leiria é aquele que mais vê aumentar o número de vendas com um incremento de mais de 30% seguindo-se Portalegre (28%) e Coimbra (26%). Segundo o técnico, «claramente na zona Centro dá-se um crescimento muito acentuado, tendo-se mantido durante o confinamento e até no verão, altura em que, por norma, há uma diminuição pelo facto de muita gente estar de férias».

Na análise aos dados disponíveis, Daniel Rocha encontra novidades e algumas surpresas, algo que considera deve fazer pensar o mercado para se adaptar à nova realidade. Assim, a faixa etária onde se deu um aumento mais significativo do número de pesquisas na Standvirtual foi na dos mais de 65 anos, com um aumento de 96%, e em segundo lugar surge a faixa etária dos 55 aos 64 anos (51%), o que contradiz toda uma tradição já que estes consumidores são por norma mais conservadores e até aqui preferiam ir ao stand e discutir todos os pormenores, cara a cara, com o vendedor. Explicação para isto? «Talvez o facto da pandemia ter obrigado as pessoas a ficarem mais em casa, numa primeira fase por ser obrigatório e numa segunda por ser recomendável dado que a COVID-19 se mostra mais perigosa nestas duas faixas etárias, principalmente na última».

Outra faixa etária que teve um aumento muito significativo de presenças nesta plataforma virtual (mais de 103%) é a dos 18 aos 24 anos, algo que Daniel Rocha considera fácil de entender. Trata-se, de acordo com o técnico da ACAP, de uma geração que já nasceu e cresceu na era digital e que «enquanto os seus avós para comprar carro iam ao stand, e os seus pais antes de ir junto do vendedor pediam-lhe informações via e-mail, recorre agora à internet, muitas vezes nos telemóveis, para ver o rating (nota) do stand e do vendedor que lhe foram atribuídos por outros clientes face à experiência que tiveram, e para pedir que lhe enviem vídeos do carro ou dados sobre os modelos menos poluentes». Só depois é que se deslocam ao stand para formalizar a compra mas todo o processo já foi realizado de uma forma virtual. «Há aqui, claramente, uma nova forma de vender aos clientes mas também naquilo que eles valorizam e hoje os jovens são muito bombardeados com a consciência ambiental, e isto obriga a que os comerciantes, cada vez mais, se adaptem a esta nova realidade», frisa.

Outro crescimento significativo registado em 2020 é no segmento feminino. As mulheres que já tinham uma presença significativa nesta plataforma de venda de usados passaram a ser 40% dos visitantes da Standvirtual (um aumento de cerca de 10%) e isso leva Daniel Rocha a dizer que não quer entrar em estereótipos mas que é um facto que homens e mulheres têm gostos e preferências diferentes, o que implica que com esta participação cada vez mais ativa das mulheres o mercado também terá de arranjar novas formas de vender se quiser florescer junto deste tipo de cliente com um peso cada vez maior na procura e compra de automóveis.