Gabriel Cunha de 13 anos e Bernardo Cunha de 16 são irmãos e além dos laços de sangue, partilham também o talento para o atletismo. Os atletas do Grupo Desportivo das Pedreiras têm sido presença assídua nos pódios, batem sucessivos recordes e acabaram de se apurar para os Nacionais (o que para Bernardo já não é novidade). São multifacetados, quer isto dizer, em termos desportivos, que são “atletas completos”. O que é um atleta completo? «Nós fazemos várias provas de diferentes modalidades, ganhamos pontos e é o conjunto dos pontos somados em todas as provas que dá o resultado, ganha quem somar o maior número de pontos», explica o irmão mais velho. O jovem dá o exemplo da sua última prova que combinou o salto em barreiras, salto em altura e lançamento do peso, embora saliente que as combinações das modalidades possam ser diferentes.

Foi por incentivo do professor de Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) no ensino primário que a mãe, Anabela Brito, inscreveu os filhos no atletismo: «Eu trabalhava na escola e o professor dizia-me que eles saltavam muito e que os devia pôr no atletismo». Uma das motivações para inscrever Bernardo Cunha foi o facto de ter problemas de auto-estima, que se vieram a atenuar com o desporto. «Notei muitas diferenças, ele tinha falta de auto-estima e assim que começou a ter bons resultados, melhorou muito, foi muito, muito bom», recorda. Já para Gabriel, que sempre foi «muito hiperativo», passou a ter onde gastar «essa energia».

Gabriel esteve no pódio em todas as provas desde que começou a praticar, fez recorde distrital em quádruplo salto, em triatlo técnico (barreiras, salto em comprimento e lançamento do peso) e no lançamento de dardo. Já representou a seleção distrital por três vezes no Torneio Interassociações Barreiras onde fez quatro primeiros lugares no total. Daqui a duas semanas vai participar pela primeira vez nos Nacionais. Já Bernardo também vai estar nos Nacionais, mas pela quinta vez, onde também já conseguiu dois pódios, com a medalha de bronze no triatlo técnico e no triplo salto. Já fez recorde distrital em quádruplo salto em pista coberta e pista ao ar livre, recorde nacional em quádruplo salto em pista coberta e recorde distrital em triplo salto.

A importância do clube e do treinador

O Grupo Desportivo das Pedreiras não foi o primeiro clube destes atletas, que começaram por treinar no Atlético Clube da Batalha. Há duas épocas que se juntaram ao clube do concelho de onde a mãe é natural e no qual trabalha e não podiam estar mais felizes. «Notámos muitas diferenças, ao início foi um bocado difícil porque não tínhamos materiais para treinar e mesmo agora, comparado com outros clubes, não temos pista, treinamos num campo em espécie de brita e às vezes ficamos com lesões por causa disso», confessa Bernardo. No entanto, a verdade é que os resultados no clube têm aparecido e isso deve-se, na opinião dos jovens atletas e da mãe, à qualidade do apoio prestado pelos treinadores, nomeadamente por Cláudio Martins que treina mais diretamente os irmãos. «Há quem me pergunte por que é que não os ponho no Vidigalense, que é um clube de topo do distrito, mas eu não quero, nem eles têm vontade, porque têm resultados e acompanhamento», começa por explicar. A mãe diz que o treinador «é excelente» pelo rigor com que trabalha: «Ele consegue perceber quando ralhar, quando acalmar, consegue gerir o que dizer quando eles estão muito nervosos. Numa prova não os larga, filma o que eles fizeram para ver onde erraram e às vezes há miúdos de outros clubes que não têm qualquer acompanhamento», salienta.

Anabela Brito não nega que gostava que o clube tivesse mais apoios para ter melhores condições, que inclusive os impedem de experimentar certas modalidades. «Eles não conseguem, por exemplo, fazer salto à vara porque não têm um colchão e gostavam muito de experimentar», explica. Além disso, as condições em que treinam são aceleradoras de lesões que levam a mais gastos: «É preciso depois fazerem fisioterapia, algo que sai do nosso bolso».

Treinar para atingir o sonho

Além das condições do clube e a capacidade dos treinadores, é muito importante «o treino». Gabriel e Bernardo treinam três ou quatro vezes por semana, dependendo também se têm prova ou não aos fins de semana, mas fazem ainda treinos em casa que o treinador manda. «Às vezes não é fácil ter motivação, mas não desistimos», garantem. Isto tudo, sem que a escola fique à margem: «Continuam a ter notas muito boas mesmo, por exemplo, o Bernardo esteve agora sete semanas sem treinar porque tinha o braço partido e disse que se concentrava mais a estudar quando treinava», frisa a mãe.

Ambos querem ser atletas profissionais, embora tenham também um plano B. Bernardo quer especializar-se em triplo salto, inspirado pelo seu ídolo, Nélson Évora, mas ao mesmo tempo quer licenciar-se em fisioterapia. Já Gabriel tem o heptatlo como meta, mas se a vida não o levar por aí, a arquitetura pode ser uma opção. Estão em sintonia também quanto ao sonho maior: ir aos Jogos Olímpicos. Cheguem aos Jogos Olímpicos ou não, a mãe não esconde «o orgulho muito grande»: «Eles agora vão aos Nacionais, mesmo que não ganhem ou independentemente da posição em que fiquem, acho que é muito bom estarem lá. São experiências fantásticas».

GDP é vice-campeão distrital

O Grupo Desportivo das Pedreiras (GDP) sagrou-se vice-campeão distrital por equipas no Atleta Completo Distrital, que se realizou a 12 e 13 de junho, no Estádio Municipal de Leiria. Ao longo dos dois dias, os atletas dos vários escalões disputaram um conjunto de três provas, cujos resultados, somados, fizeram a classificação final.

Esta é a segunda época em que o GDP consegue um lugar no pódio, tendo ficado atrás da Juventude Vidigalense e com o Clube de Atletismo da Marinha Grande a fechar o pódio. Em nota enviada à nossa redação, o GDP salienta que os colegas de pódio «são clubes que usufruem diariamente de pistas de atletismo do distrito de Leiria, recurso de que o GDP não pode dispor diariamente por questões de logística e de tempo, o que só vem reforçar ainda mais o valor destes atletas e do grupo de trabalho».

Em destaque os nomes dos atletas do clube que arrecadaram primeiros lugares: Matias Ferreira (infantis), Gabriel Cunha (iniciados), Bernardo Cunha (juvenis). Em prova estiveram também Miguel Matos (infantis), Violeta Santos (infantis), Carina Marto (iniciados) e Marta Vieira (juvenis).