Foi no passado dia 22 que Mira de Aire voltou a viver uma das suas tradições, o cantar das Janeiras, numa versão «pré-pandemia mas com modificações», como nos explica Bruno Batista, um dos Quarentões de 1982, comissão que este ano organiza as Festas em Honra de Nossa Senhora do Amparo e todos os eventos ao longo do ano. Bruno Batista refere que o objetivo foi que o evento fosse «o mais próximo do que se fazia» antes de haver COVID-19, «mas com as restrições e limitações impostas não só pela Direção-Geral da Saúde, mas também pela Câmara Municipal e pelo bom senso».

Na perspetiva da organização, o evento «superou enormemente as expectativas», pois apesar de saberem que havia uma «saudade muito grande por parte da população», estavam «reticentes» com a adesão. No entanto, Bruno Batista salienta que houve «um bom público e uma boa energia» e que o «saldo geral é muito positivo».

Sem ter para já os planos fechados ou as datas definidas, os Quarentões de 82 querem realizar alguns dos eventos típicos da freguesia de Mira de Aire, «como o Dia do Quarentão, no verão, ou o Almoço da Morcela, em novembro», mas propõem-se também a trazer algumas novidades, sobretudo no que diz respeito à «oferta cultural e lúdica». «Sentimo-nos com a responsabilidade social de quase mensalmente – se a pandemia o permitir – organizar alguns eventos de ordem cultural para dinamizar Mira de Aire», afirma Bruno Batista.

Foto | Quarentões 1982-2022