A poucos dias do processo de vacinação entrar numa nova fase e numa altura em que mais de 80 por cento da população portomosense já tem a vacina completa, O Portomosense foi espreitar a vacinação dos mais novos. Falámos com pais para perceber o que os levou a querer que os seus filhos fossem vacinados e recolhemos também o depoimento de alguns dos adolescentes.

Foram os filhos que tomaram a iniciativa de se inscreverem

Vítor Soutinho, residente em Porto de Mós, pai de um rapaz de 16 anos e de uma rapariga com 12, explica que além de querer que toda a família ficasse protegida, ao vacinar os filhos quis também «contribuir para a imunidade de grupo, para que tudo volte à normalidade o mais rápido possível». «A decisão foi conjunta e informada», sendo que «a iniciativa partiu dos próprios filhos que trataram até de se inscrever», portanto foi algo que contou com o apoio total dos pais. Depois de confirmar que nenhum dos filhos teve qualquer problema na sequência da toma da primeira dose da vacina, Vítor Soutinho fez questão de «enaltecer o trabalho das pessoas que estão nos centros de vacinação», afirmando que «está tudo muito organizado e seguro».

“Não sabemos os efeitos secundários mas temos que arriscar. Vamos pensar que será para uma coisa boa”

Sandra Santos, de São Bento, também não teve qualquer dificuldade em decidir vacinar a sua filha, uma jovem de 13 anos: «Foi fácil e tranquilo. Não houve problema nenhum, estivemos sempre de acordo, ela própria queria ser vacinada. É claro que não sabemos os efeitos secundários mas temos que arriscar. Vamos pensar que será por uma coisa boa». Lara Santos, a filha, explica que «queria ser vacinada porque dá sempre jeito e já se pode ir a vários sítios se se tiver a vacina». Embora muito nova, não tem dúvidas de que o tempo que passou em pandemia fará parte das suas memórias e acredita que as dificuldades ou constrangimentos que enfrentou durante este período a venham a «tornar mais forte» para os desafios que o futuro lhe venha a reservar.

(Leia a notícia completa na edição em papel d’O Portomosense do dia 30 de setembro de 2021)