A União Recreativa e Desportiva Juncalense e a Associação Recreativa Cultural e Desportiva da Mendiga conseguiram assegurar um lugar na final four da Taça do Distrito de Leiria de futsal depois de terem eliminado nos quartos-de-final o Bufarda e o ACJ Futsal, respetivamente. Segundo ditou o sorteio realizado esta terça-feira, dia 26, o Juncalense irá defrontar o Casal Velho (15h30), enquanto que a Mendiga irá jogar contra a Pocariça (18 horas) nas meias-finais, agendadas para 7 de maio. A final é no dia seguinte, às 17 horas.

Jorge Branco, conhecido por Xana, treinador do Juncalense, admite que a passagem à final four era um objetivo definido para esta época – a par da manutenção na Divisão de Honra – porém reconhece que a sua concretização deixou a equipa surpreendida: «Não foi algo esperado mas algo pelo qual ansiávamos muito e que conseguimos com muito esforço». Num jogo que descreve como «extremamente complicado», o treinador não se coíbe de elogiar a atitude e a energia transmitida pelos adeptos no pavilhão e acredita que esse apoio foi uma das razões que permitiu a passagem do Juncalense à fase seguinte. «Estava uma excelente moldura humana. Eu costumo dizer que as pessoas que vão ver os nossos jogos são o nosso sexto jogador porque, às vezes, eles empurram-nos. Os jogadores conseguem ir buscar mais um bocadinho de força, quando ouvem os familiares, os amigos e os adeptos na bancada a gritar por nós», afirma. Para o Juncalense esta é a quarta vez que chega à final four da Taça do Distrito – sem nunca ter conseguido vencer – e o objetivo agora é contrariar o desfecho dos últimos anos.

Se no caso do Juncalense, conseguir um lugar na final four foi algo inesperado, para a Mendiga essa conquista não foi uma surpresa, antes pelo contrário, já era dada praticamente como certa, quem o diz é o treinador, Luís Mota: «Mentiria se dissesse que não esperávamos [um lugar na final four]. Quando vimos o calendário – sem desrespeitar as equipas que nos calharam – pensámos logo que podia ser uma possibilidade». Apesar do otimismo e do facto de «teoricamente» serem considerados «favoritos», o líder da equipa defende: «Nos jogos para a Taça os favoritos não existem». Embora admita que a final four é um dos objetivos do clube, Luís Mota esclarece que a prioridade da equipa sempre foi o campeonato, conquistado na passada sexta-feira.