De 2021 para 2022, Porto de Mós subiu 32 lugares no Portugal City Brand Ranking, um ranking elaborado pela empresa Bloom Consulting, que «mede a atratividade e performance dos 308 municípios portugueses nas áreas de Turismo (Visitar), Investimento e Exportações (Negócios) e Talento (Viver) através de uma metodologia quantitativa, que congrega dados de performance estatística, de plataformas online e redes sociais e também da procura proativa pelos municípios através do algoritmo Digital Demand criado pela própria empresa.

De acordo com o último ranking, recentemente divulgado, o município ocupa agora o 135.º lugar a nível nacional e é 41.º entre os 100 municípios da região Centro, tendo subido aqui, 11 lugares. Depois de anos a fio a meio da tabela e de no ano passado ter tido uma queda, Porto de Mós consegue agora descolar-se da sua habitual posição (já por si honrosa) e ver a notoriedade da sua marca territorial subir mais uns degraus.

Olhando para o histórico, verificamos que desde que há oito anos foi criado o ranking, só em 2019 é que Porto de Mós obteve uma melhor posição a nível nacional e regional mas com a diferença mínima face a 2022: um ponto acima (134.º e 40.º, respetivamente).

“Visitar” e “Viver” dominam pesquisas

Traçado o cenário global interessa agora conhecer as três variáveis base que compõem o algoritmo criado pela Bloom Consulting e que permitiu a elaboração do Portugal City Brand Ranking, e saber qual o desempenho de Porto de Mós em cada uma delas.

Assim, «na primeira variável são analisados todos os dados estatísticos que medem o desempenho nas vertentes económica, social e turística sendo considerados dados de fontes oficiais como o INE e a Pordata», explica a empresa. A segunda consiste na «análise de todas as pesquisas online realizadas em todo o mundo, nos principais motores de busca, através da ferramenta Digital Demand, ajudando a entender a procura proativa existente por todos os municípios portugueses». Por fim, a terceira variável consiste no «desempenho dos canais de comunicação dos municípios, nomeadamente nos seus sites oficiais e páginas em redes sociais».

Na primeira variável o desempenho socioeconómico dos municípios é medido nas dimensões Negócios, Visitar e Viver. São tidos em conta o número de empresas, variação do número de empresas, percentagem de novas empresas e rácio empresas/habitante (Negócios), o número de dormidas, a variação do número de dormidas, a taxa de ocupação e o rácio dormidas/habitante (Visitar) e a população, variação da população, taxa de desemprego, poder de compra, taxa de criminalidade e estudantes do Ensino Superior/população (Viver).

Relativamente a 2021, Porto de Mós regista uma subida de 55 posições a nível nacional na dimensão Visitar, 35 em Negócios e sete em Viver. Nas mesmas dimensões, mas já no conjunto dos 100 municípios da região Centro, as subidas são de 16, 15 e sete respetivamente.

No conjunto dos indicadores que compõem cada dimensão, os melhores resultados dizem respeito à variação do número de dormidas, à taxa de desemprego, à taxa de criminalidade, ao rácio estudantes do Ensino Superior/população residente e ao rácio dormidas/habitante. Por sua vez, os piores dizem respeito ao número de dormidas, variação da população e percentagem de novas empresas.

Na segunda variável, através da ferramenta Digital Demand, «a atratividade real de um município é medida tendo em conta todas as pesquisas realizadas nos principais motores de busca em todo o mundo por potenciais turistas, investidores, trabalhadores ou estudantes». De acordo com a consultora, «o primeiro ponto de inspiração para viajar, investir, procurar novo local para trabalhar ou estudar passa pela realização de pesquisas online nos motores de busca, sendo por isso essencial conseguir perceber este interesse proativo nos nossos municípios por parte dos seus principais públicos-alvo». Segundo o ranking, as dimensões Visitar e Viver são, no caso de Porto de Mós, as mais pesquisadas na internet, com valores muito idênticos e pouco superiores à Negócios, contudo, esta teve em termos comparativos com os dados do ranking de 2021, um crescimento bastante significativo.

Por último, a terceira variável consiste no desempenho dos canais de comunicação dos municípios, nomeadamente nos seus sites oficiais e páginas nas redes sociais na internet. Aqui, o município tem um melhor desempenho ao nível do seu site, no entanto, a presença nas redes sociais também merece nota positiva neste estudo.

A fechar e a título de curiosidade, refira-se que os temas mais pesquisados em motores de busca na internet sobre Porto de Mós são “castelos e fortalezas” (32%), “restaurantes” (17%), “câmara municipal” (16%), “empregos em” (9%) e “comprar” e “renda” (4%).

Posição no distrito a destoar

Pese embora o seu bom desempenho a nível nacional e regional, o Município é, apenas, o 10.º entre os 16 que compõem o distrito. A liderar está Leiria (12.º a nível nacional), seguindo-se Caldas da Rainha (44.º), Nazaré (51.º), Pombal (59.º), Peniche (61.º), Marinha Grande (68.º), Alcobaça (71.º), Óbidos (83.º), Batalha (110.º) e Porto de Mós (135.º). Encerram a lista, Bombarral (158.º), Ansião (219.º), Figueiró dos Vinhos (254.º) Alvaiázere (283.º), Castanheira de Pêra (284.º) e Pedrogão Grande (286.º).

Foto | Isidro Bento