“Maria Especiaria” é portugalidade com inovação e o nome de uma nova marca de produtos artesanais do concelho. Se Maria «é um nome muito português», as especiarias são um dos produtos estandarte do negócio. A ideia é «reinventar o que já existe, dando-lhe um toque diferente». Embora os mix de especiarias e os azeites aromatizados (imaginados e confecionados integralmente pelas proprietárias) tenham sido uma das bases de partida, este negócio de duas irmãs, Mariana e Vera Jesus, vai agora muito além disso. «Mix de Sementes, queijinho em azeite, mel e pólen, bombons artesanais, picante, granola, amendoins caramelizados, amendoins mel & sal, amendoins picantes, louro e orégãos e ginja artesanal» completam “o ramalhete” de produtos, embora a imaginação não vá ficar por aqui, garantem, já com «novos chocolates» e especiarias «do mundo» em mente. «Vamos ter especiarias tailandesas e mexicanas, para que pessoas como nós, que gostam de comida do mundo, tenham acesso. Normalmente quando precisamos desses produtos temos de ir a Lisboa, então queremos trazê-los para cá», salientam.

Mariana tem 24 anos, trabalhava como hospedeira de bordo e ficou desempregada quando a pandemia começou. Já Vera, com 27 anos, esteve emigrada na Suíça durante quatro anos, mas nunca se sentiu totalmente realizada: «Eu adorei a experiência, mas sentia muita falta dos amigos e da família». Decidiu voltar e logo de seguida a COVID-19 apareceu nas nossas vidas. As duas irmãs estavam desempregadas e por isso a ideia de criar um negócio começou a surgir. «São produtos de que nós gostamos, que já fazíamos para nós, sobretudo as especiarias e os picantes», explicam. A juntar a isso, tinham vontade de contribuir «para rejuvenescer os mercados locais».

Além da venda através das redes sociais que criaram, são presença assídua no mercado de Mira de Aire que se realiza aos sábados e estão representadas também já em vários restaurantes e lojas regionais com as quais têm parcerias. A estreia oficial da “Maria Especiaria” foi em novembro de 2020 e o balanço destes nove meses supera a expetativas iniciais: «As coisas têm corrido muito bem, mesmo no mercado tivemos uma receção muito calorosa. A maioria das pessoas estão lá há muitos anos, alguns até já estão reformados e quando viram ali duas caras novas, apoiaram-nos imenso e têm divulgado muito o nosso projeto. Acho que deu um bocado de vida a toda a gente», refere Mariana. Já existem clientes fidelizados e que todos os sábados se deslocam ao mercado para comprar alguma coisa. As irmãs estão cientes de que a procura «por produtos biológicos e artesanais está a crescer» e que as pessoas «procuram qualidade» e esse, acreditam, «é um ponto a favor» da “Maria Especiaria”.

Os produtos endógenos e a sustentabilidade

Apostar nos produtos endógenos faz também parte do ADN da marca. «Trabalhamos com produtores locais, por exemplo, compramos o azeite aos produtores locais, mas depois somos nós que aromatizamos. Outro exemplo é o mel que é também de um produtor local», frisam. A proteção do ambiente é outro dos fatores que as irmãs têm em conta: «Tentamos reciclar tudo, raramente usamos plástico, apostamos mais no vidro». Este espírito até já passou para os clientes que «vão muitas vezes de propósito levar frascos e embalagens» para que Mariana e Vera possam reutilizar nos seus produtos. «É super engraçado e agradecemos muito», afirma Vera. Mas a aposta em materiais duradouros como o vidro prendem-se também com a vontade de ter um produto «bonito e diferente» que possa resultar até «como um presente para dar a alguém ou como algo para estar em casa exposto» devido ao seu design único. «Nós trabalhamos também muito com caixas-presente que podem ser personalizadas pelas pessoas, adaptadas a dias especiais», explicam.

Como meta têm a criação de uma loja física onde possam ter os seus produtos, nomeadamente com venda «a granel». Para já, os planos passam por aproveitar a requalificação do Mercado de Mira de Aire: «Uma vez que vão renovar a praça achamos que seria uma boa opção, enquanto não tivermos o nosso espaço, estarmos lá com um espaço aberto mais dias, sem ser apenas ao sábado». Uma garantia as irmãs deixam, “Maria Especiaria” vai «temperar as nossas vidas».