A Junta de Freguesia de Mira de Aire foi premiada, no passado dia 29 de abril, pelo projeto AGILidades, como uma junta que promove o envelhecimento ativo e feliz, «por ter sido a primeira no país a aderir à iniciativa, que promove jogos validados cientificamente para idosos», contou o presidente da Junta, Alcides de Oliveira. Atualmente «existem quatro jogos disponíveis para as IPSS da freguesia e para outras entidades que os solicitem», adiantou. No dia 30 de abril, a autarquia esteve junto à igreja de Mira de Aire, no âmbito das comemorações do 89.º aniversário da vila, precisamente para fazer uma apresentação destes jogos, mostrando-os à população e desafiando-a a conhecer e a participar nas atividades.

A secretária do executivo da Junta de Freguesia, Susana Reis, presente na atividade explicou que este projeto «surge de um ainda maior, que consiste na criação de uma spin-off no Politécnico de Leiria, na qual estão envolvidas pessoas com formação na área da saúde, mais especificamente de problemáticas ligadas à população sénior», adianta. Estas pessoas têm ajudado no processo de formação dos voluntários de Mira de Aire, que auxiliam a aplicar os jogos com o objetivo de trabalhar algumas das problemáticas na população idosa», conta Susana Reis. A ideia é começar a trabalhar em rede, referiu, ou seja o objetivo é que «os voluntários que receberam esta primeira formação da AGILidades, deem formação às novas pessoas voluntárias, uma vez que «quanto maior for a equipa, maior será a intervenção», considerou Susana Reis.

Trabalhar a concentração e a memória, ajudando a estimular o cérebro de pessoas com demência é o foco principal do trabalho de intervenção dos voluntários de Mira de Aire, avançou Susana Reis. No entanto, realçou ainda que estes jogos são estimulantes para todas as faixas etárias. Durante o dia de demonstração dos jogos, «avós jogaram com netos, pais jogaram com filhos», criando-se esta «dinâmica de comunidade» e isso, admitiu Susana Reis, «é extremamente relevante».

Voluntários precisam-se

Agora a necessidade é angariar mais voluntários para o projeto, uma vez que neste momento existem apenas oito e a Junta «não tem capacidade de recursos humanos disponíveis para fazer este tipo de trabalho com os idosos», adiantou Alcides de Oliveira. No entanto, o presidente considerou que esta é uma iniciativa importante e que se deve continuar a investir nela, uma vez que o jogo já tem mostrado ser benéfico para as pessoas idosas, refere. «Estando a jogar, parece que rejuvenescem e mostram-se interessadas em participar no projeto e isso é uma mais-valia», contou o presidente, admitindo estar satisfeito com o projeto AGILidades. Em relação aos valores gastos pela Junta com esta iniciativa, Alcides de Oliveira revelou terem sido «inferiores a mil euros», acrescentando que já estão disponíveis mais algumas verbas para avançar com o projeto. No entanto, o presidente considerou que atendendo «ao custo-benefício, é muito agradável ter a oportunidade de dar alguma ajuda para melhorar o dia-a-dia dos idosos desta freguesia».