Manuel Balela vai liderar a equipa técnica da União Recreativa Mirense. O técnico já fazia parte do clube, no papel de diretor desportivo. Os motivos para a rescisão de contrato com o, agora, antigo treinador, Miguel Pinto, foram explicados pelo presidente do clube, António Lima, a O Portomosense. «[O treinador] entendeu que o Mirense não estava a construir um plantel condizente com aquilo que ele achava que tinha de ser e apresentou-nos a demissão», revelou o dirigente.

Na opinião do presidente, o Mirense «está a construir um plantel dentro das suas possibilidades» para conseguir «honrar os compromissos». «É o que temos feito desde que entrámos [a atual direção]», garante. No entanto, o dirigente reconhece que «não está a ser fácil»: «Não tem sido desde que aqui estamos, mas felizmente temos conseguido arranjar plantéis que nos têm dado a alegria de conseguir a manutenção». As principais dificuldades «são económicas» numa altura em que “chovem” a toda a hora «propostas com melhores condições». Em tom irónico, António Lima, salienta: «[Os jogadores] Levam com promessas que vão ganhar mais, se calhar que vão para a Liga dos Campeões, não sei».

Muitas destas equipas acabam por «não cumprir as promessas»: «No final da época acontecem coisas que não deviam acontecer». «Quem quer ser sério e prometer aquilo que pode, perde muitos jogadores», acrescenta. António Lima frisa que o Mirense «sabe bem aquilo que tem, o que pode oferecer e é dessa forma que vai trabalhar [enquanto estiver na direção]». «Claro que é mais fácil construir plantéis com base no facilitismo, no “dá-se tudo e depois logo se vê”, mas nós não queremos isso», garante. O dirigente diz que a culpa também está um pouco do lado dos jogadores que «parece que gostam de ser enganados, porque sabem as condições e realidades dos clubes e vão na mesma».

As características do novo líder

«O futuro treinador é um homem “da casa”, um excelente treinador, aliás, o treinador que queria desde o início da época anterior», revela António Lima. Por ser diretor desportivo da equipa «sabe as dificuldades que clubes como o Mirense têm, que não é fácil ir buscar jogadores com muita qualidade a pagar pouco». Ainda assim, o presidente acredita que esse trabalho tem sido feito no clube: «Temos conseguido ter jogadores com uma boa relação qualidade/preço, mas no fim da época é fácil os nossos adversários virem cá buscar jogadores porque sabem o que pagamos». Por isso, a equipa tem de se «reestruturar a cada época». Manuel Balela, garante, está «preparado» para isso. «Sabe aquilo que vai apanhar, vai ser mais um trabalhar para que as coisas corram bem», salienta. A equipa técnica será composta ainda por Tó-Zé Quaresma (treinador adjunto), Vítor Cordeiro (treinador adjunto), David Vicente (treinador de guarda-redes) e o diretor desportivo, Fernando Pardal.